Mais uma falha no novíssimo porta-aviões dos EUA reforça incertezas sobre sua utilização

As obras de reparação do novo porta-aviões dos EUA Gerald R. Ford podem se prolongar ao menos até outubro devido a uma séria falha encontrada no principal sistema de propulsão do navio.
O porta-aviões norte-americano USS Gerald R. Ford


As obras de reparação do novo porta-aviões dos EUA Gerald R. Ford podem se prolongar ao menos até outubro devido a uma séria falha encontrada no principal sistema de propulsão do navio.


Os problemas nas turbinas a vapor do porta-aviões foram encontrados durante os testes de mar, o porta-aviões teve que suspender os testes e regressar ao estaleiro. A inspeção verificou que os dois principais geradores de vapor do USS Gerald R. Ford necessitam de reparações em grande escala.

Junto com os problemas antigos da embarcação, como falhas com os sistemas de catapulta do navio, elevadores de armas e radares, não está claro quando o novo porta-aviões pode ficar pronto para combate, de acordo com a edição The Drive.

O porta-aviões USS Gerald R. Ford é o principal porta-aviões de um novo tipo, representando uma versão modernizada dos navios da classe Nimitz. Ele foi oficialmente introduzido em serviço em 2017, porém a recuperação dos problemas revelados durantes os testes continua até agora.

Durante a construção do porta-aviões foram utilizados tais avanços como catapultas eletromagnéticas em vez das a vapor e radares de nova geração. Os reatores da embarcação produzem mais 25% de energia do que os do Nimitz, ela é necessária para a grande quantidade de diferentes equipamentos eletrônicos do navio. Graças ao grande nível de automatização, a tripulação do porta-aviões foi reduzida em 1.000 efetivos.

Fonte Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários