Fusão poderá dar origem à 2ª maior empresa aeroespacial e militar do mundo nos EUA

Visitante caminha no estande da empresa Raytheon apresentando equipamentos em Cingapura [© AP Photo / Wong Maye-E]

Duas das maiores empresas aeroespaciais e de defesa dos EUA, a United Technologies e a Raytheon, poderão anunciar em breve a sua fusão, relata o The Wall Street Journal com referência a fontes anônimas.

As empresas norte-americanas de armamento United Technologies e Raytheon estão negociando uma possível fusão, informa o jornal.

Isto poderia criar um novo gigante de armas nos EUA, comparável à Airbus, Boeing ou Lockheed Martin.

Segundo o The Wall Street Journal, essas duas maiores companhias do setor de defesa americano têm juntas um valor de mercado estimado em aproximadamente US$ 166 bilhões (R$ 643 bilhões) e podem anunciar o negócio nos próximos dias.

No entanto, os meios de comunicação indicam que os termos exatos do acordo ainda estão sendo negociados.

A fonte ainda cita que a nova companhia seria chamada de Raytheon Technologies e seria liderada pelo atual presidente da United Technologies, Greg Hayes. O CEO da Raytheon, Thomas Kennedy, seria o presidente do conselho. A receita anual da nova empresa pode chegar a mais de US$ 70 bilhões.

A empresa resultante da fusão se tornaria a segunda maior empresa aeroespacial e de defesa do mundo em termos de vendas, depois da construtora de aeronaves norte-americana Boeing.

O conglomerado norte-americano United Technologies Corporation dedica-se à pesquisa, desenvolvimento e fabricação de produtos de alta tecnologia, como os motores para os caças F-35 e F-22 de última geração. A Raytheon é um dos maiores empreiteiros de defesa dos EUA e o maior produtor de mísseis do mundo.

12:37 09.06.2019 Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários