"Space Force" com outro nome: Comitê da Câmara dos EUA aprova "Space Corps"

Avião-foguete X-15 [NASA]

O Space Corps, já ridicularizado, agora está se aproximando da realidade. Na madrugada de 13 de junho, o Comitê de Serviços Armados da Câmara votou pela criação de um Corpo Espacial dos Estados Unidos dentro do Departamento da Força Aérea. O nome Força Espacial, proposto pela primeira vez pelo presidente Trump, parece ter sido abandonado. Vida longa ao Corpo Espacial.

O Comitê de Serviços Armados havia marcado a Lei de Autorização de Defesa Nacional de 2020 (NDAA) em 12 de junho. Na maior parte do ano legislativo, o NDAA determina o orçamento anual e as compras do Departamento de Defesa. A emenda Space Corps foi bipartidária, proposta por Jim Cooper(democrata) e Mike Rogers(republicano). O NDAA passou com uma votação de 33-24.

"Como eu disse várias vezes, o futuro dos combates será travado no espaço", disse Rogers em um comunicado." A Rússia e a China estão nos superando em capacidades espaciais e precisamos ter um ramo militar voltado exclusivamente para essa missão."

"Essa não é uma despesa de US $13 bilhões, um plano banhado a ouro como o proposto pela secretaria da Força Aérea", disse Cooper. "Ao contrário, é uma reorganização para que os profissionais do espaço sejam devidamente reconhecidos por sua habilidade e capacidade e promovidos.”

O Corpo Espacial passou por várias iterações. Quando o presidente Trump falou pela primeira vez publicamente sobre a ideia, a proposta era de uma ala completamente separada das forças armadas. Embora a nova proposta não exija uma divisão separada das forças armadas, oferece ao Corpo Espacial alguma autonomia. Semelhante ao Corpo de Fuzileiros Navais, o Corpo Espacial seria encabeçado por um Comandante de quatro estrelas que se tornaria parte do Estado-Maior Conjunto.

Entre outros destaques, foram apontados pelo SpaceNews: o Secretário da Força Aérea "pode ​​estabelecer um sistema de aquisição alternativo e separado para compras de defesa espacial". O Corpo Espacial receberá “funções, ativos e obrigações dos elementos espaciais da Força Aérea (incluindo todas as propriedades, registros, instalações, atividades, instalações, agências e projetos)”.

Haverá um período de transição de um ano entre a Força Aérea e o Corpo Espacial a partir de 1º de janeiro de 2021. O Comitê deu a ambas entidades um pouco de liberdade, estabelecendo um prazo final para sua conclusão em 31 de dezembro de 2023.

No entanto, o negócio ainda não está fechado. O Comitê da Câmara ainda precisa se reconciliar com a fala do Senado, o NDAA, que chama a entidade de Força Espacial. Mas apesar de ter sido ridicularizado (e criticado ) após o anúncio, está ficando claro que os militares dos EUA terão sua própria presença no espaço em breve, seja qual for o nome.

14 de junho de 2019 Popular Mechanics

Postar um comentário

0 Comentários