A ameaça das lanchas rápidas do Irã

A infografia mostra a lancha rápida Zolfaqhar, quarta variante da família de lanchas de ataque iranianas Peykaap, copiada da britânica British Bladerunner 51.

As lanchas rápidas de ataque da Guarda da Revolução Islâmica são uma versão de engenharia reversa da Bladerunner 51 britânica – a Zolfaqhar pode atingir 100km/h e lançar mísseis e torpedos.

Atacar em enxames  é a tática em que ondas de pequenos navios atacam um navio de capital mais lento, como um porta-aviões, atacando-o com torpedos, ou com mísseis, ou mesmo atacando-o em ataques suicidas ao estilo kamikaze.

O projeto das lanchas de ataque do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica(IRGC) é uma versão de engenharia reversa de um British Bladerunner 51, projetado e construído pela Ice Marine. A quarta variante é a chamada classe Zolfaqhar, que pode chegar a 100km/h e é capaz de lançar mísseis e torpedos.

A história da FAC do Irã começou em 2005, quando a tripulação de quatro pessoas do Bradstone Challenger de 15 metros quebrou o recorde mundial ao circunavegar as Ilhas Britânicas, completando a jornada em 27 horas e 10 minutos e alcançando velocidades de 72 nós (133km/h). Quatro anos depois, o Bradstone Challenger foi colocado à venda.


Apesar dos esforços de Washington e Londres para bloquear a venda do Bradstone Challenger ao Irã, a nave Bladerunner apareceu em Bandar Abbas, porto naval do IRCG, em 2010.

Questões sobre a capacidade do Irã de copiar os motores duplos Caterpillar C18 de 1000hp (744kW) da Bladerunner foram respondidas no início de 2018, quando o vice-ministro da Defesa do Irã, Brigadeiro Qassem Taqizadeh, anunciou um sistema de propulsão capaz de atingir 1.800hp.

Os iranianos também importaram torpedos russos Shkval e criaram clones locais - estes torpedos de super cavitação podem viajar a cerca de 200 nós (370km/h).

A lancha de ataque rápido Zolfaghar também possui tubos duplos para mísseis anti-navio Nasr-1, bem como metralhadoras pesadas DShK (pronuncia-se “Dash-a-ka”) de 12.7mm montadas para a frente e para trás.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

20/05/2019 Graphic News

Postar um comentário

0 Comentários