A camuflagem de US$ 5 bilhões do exército dos EUA que não conseguiu esconder seus soldados


O padrão de camuflagem universal usava cinza, bege e verde como cores primárias. Pretendia-se ajudar a disfarçar soldados tanto no terreno deserto quanto no temperado.

A camuflagem tem sido usada pelos militares desde os tempos antigos. Vegetius escreveu que os navios foram pintados de azul veneziano para escondê-los nas águas abertas.

A camuflagem não só fornece o elemento surpresa, como também mantém os soldados seguros enquanto estão posicionados.

À medida que a tecnologia avança, novos padrões de camuflagem precisam ser criados para garantir a segurança contínua das tropas. Em 2005, o Exército dos EUA introduziu um novo padrão de camuflagem chamado Padrão de Camuflagem Universal. Este projeto chamou a atenção na época por causa da aparência pixelada do padrão digital.

O Padrão de Camuflagem Universal dos EUA

O padrão de camuflagem universal usava cinza, bege e verde como cores primárias. Pretendia-se ajudar a disfarçar soldados tanto no terreno deserto quanto no temperado. O projeto inicial veio após o início das guerras no Iraque e no Afeganistão.

Na época, as tropas posicionadas receberam camuflagem do deserto. Enquanto isso escondia o soldado, o equipamento adicional os tornava mais visíveis, já que ele era mais escuro que a camuflagem. Um padrão de camuflagem substituto era necessário, e foi decidido que o projeto deveria funcionar em todos os terrenos para ser mais econômico.

Dois soldados em 2005 vestindo o uniforme de combate do exército no padrão de camuflagem universal

O padrão inicial criado pelo Centro de Sistemas de Soldados do Exército dos Estados Unidos foi desenhado por funcionários da PEO Soldier. Essas autoridades haviam visto a nova camuflagem criada pelo Corpo de Fuzileiros Navais, que usava pixels em vez do tradicional padrão de ondas. Querendo usar essa nova tecnologia, os desenvolvedores do Exército foram instruídos a usar o padrão de pixel, e o Padrão de Camuflagem Universal nasceu.

Esse novo padrão foi implementado em 2005, mas foi substituído uma década depois em 2015. Por que esse padrão não durou? A resposta é que não foi eficaz em esconder soldados.

A principal questão era um efeito óptico conhecido como isoluminância. É quando o olho humano interpreta várias cores e padrões como uma única massa. Quando esse efeito ocorre em zonas de combate, pode facilitar a identificação de soldados à distância. A causa desse efeito no novo padrão foi o dimensionamento da pixelização.

Soldado do exército dos EUA usando o padrão de camuflagem Universal

A camuflagem também não incluiu o preto no padrão. Isso pode fazer com que a camuflagem pareça plana contra superfícies 3D, tornando mais fácil identificar os soldados que a usavam.

Com esses problemas, o padrão nunca deveria ter sido escolhido. No entanto, não houve teste do projeto antes de ser implementado. Pesquisas constataram que não foram feitos estudos sobre a eficácia da camuflagem em zonas de combate. O teste que foi feito foi para o padrão Urban Track, que foi experimental e rejeitado, mas formou a base dessa camuflagem.

Pesquisas realizadas entre 2007 e 2009 também foram capazes de identificar quatro padrões diferentes de camuflagem que funcionaram melhor do que o padrão de camuflagem universal. O Corpo de Fuzileiros Navais da Desert Digital, a Desert Brush, a MultiCam e o padrão militar sírio eram melhores em esconder soldados.


Segundo a pesquisa, esses padrões foram 16 a 36 por cento melhor do que o padrão de camuflagem universal na maioria dos terrenos.

Com crescentes preocupações levantadas sobre o novo padrão, o Exército teve que tomar medidas drásticas. Tropas no Afeganistão receberam a camuflagem MultiCam. O Exército teve que licenciar esse padrão de uma empresa privada. O Esforço de Melhoria da Camuflagem também foi lançado em 2010 para encontrar uma nova substituição de camuflagem.

Soldados do Exército dos EUA em maio de 2006, usando o Padrão de Camuflagem Universal na província de Kunar, Afeganistão

O Esforço de Melhoria da Camuflagem durou quatro anos até que um padrão final de substituição fosse anunciado. O Exército substituiria o Padrão de Camuflagem Universal pelo Padrão Operacional de Camuflagem. Esse padrão não foi um dos finalistas inicialmente anunciados, mas seria financeiramente melhor.

As finanças foram importantes ao escolher a substituição do Padrão de Camuflagem Universal. Foi relatado que o governo gastou US $ 5 bilhões no desenvolvimento e implantação da nova camuflagem. A taxa de licença da MultiCam também teria sido cara porque a Crye Precision, a empresa privada que a criou, passou anos desenvolvendo-a.

Não apenas o Exército gastou bilhões no projeto fracassado, como agora tem uma grande oferta de equipamento de Camuflagem Universal com pouco uso.


Com o padrão extinto, o Exército determinou que deverá pintar todos os equipamentos qualificados para aderir ao novo padrão de camuflagem. No entanto, os equipamentos qualificados não incluem uniformes e apenas os itens do equipamento que foram cobertos com tecido de nylon texturizado.

Esta seria a primeira vez que o Exército encontraria outras maneiras de se livrar de equipamentos quando houve uma mudança de camuflagem. Alguns dos métodos comuns incluíam desfazer-se através de vendas militares estrangeiras e através do Escritório de Reutilização e Marketing de Defesa. Acredita-se que a ineficácia da camuflagem tornou isso impossível.

Traduzido por Pacto de Varsóvia

20 de abril de 2019 War History

Postar um comentário

0 Comentários