Corveta de mísseis da Frota do Cáspio junta-se à força-tarefa do Mediterrâneo



A corveta de mísseis de cruzeiro Uglich do Projeto 21631 da Flotilha Cáspia, juntou-se à força-tarefa permanente da Rússia no Mediterrâneo, disse uma fonte dos círculos de defesa da Crimeia à TASS na terça-feira.

"Durante a noite de terça-feira, a Uglich passou pelos estreitos do Mar Negro e entrou no Mar Mediterrâneo", disse a fonte.

Anteriormente a corveta de mísseis Uglich passou pelo Mar Cáspio para o Mar Negro através dos canais internos russos, disse a fonte.

O Esquadrão Mediterrâneo da Rússia atualmente inclui outra corveta de mísseis do Projeto 21631 da Flotilha Cáspia, o Veliky Ustyug.

As corvetas de mísseis do Projeto 21631 da Flotilha Cáspia participaram em grande numero nos ataques com mísseis de cruzeiro Kalibr contra alvos terroristas na Síria.


O Projeto 21631 da classe Buyan-M de mísseis pequenos apresentam um maior deslocamento e estão equipadas com o mais recente sistema padronizado de mísseis de precisão Kalibr-NK designado para atacar alvos navais e costeiros.

O 5º Esquadrão do Mediterrâneo da Marinha Soviética serviu de modelo para a força-tarefa mediterrânea permanente da Marinha Russa que opera atualmente. O 5º esquadrão soviético operacional lidou com as tarefas da presença naval no teatro de operações do Mediterrâneo durante o período da Guerra Fria.

Seu principal rival era a 6ª Frota da Marinha dos EUA. O Esquadrão Soviético foi dissolvido em 31 de dezembro de 1992, um ano após a desintegração da União Soviética.

Quando surgiu em 2013, a Rússia estava criando uma nova força-tarefa operacional do Mediterrâneo em sua história moderna. A nova força-tarefa permanente da Rússia está lidando com missões de combate planejadas e de emergência que surgem no teatro de operações do Mediterrâneo, incluindo a proteção contra ameaças à segurança nacional e militar da Rússia.

Traduzido por Pacto de Varsóvia

16 DE JULHO, 09:40 TASS

Postar um comentário

0 Comentários