Do que são capazes os novos canhões dos blindados russos?

Veículo blindado na base do chassi T-15 em exposição em Kubinka


Alta cadência de tiro, maior raio de ação e excelente blindagem. Essas são as características dos canhões de 57 mm dos BMP e BTR russos.

Desde a era soviética tanto a infantaria quanto os paraquedistas eram armados com três tipos de canhões de tiro rápido. A partir de 1980 os blindados BMP-2, BMD-2, BMD-3, BMPT e os helicópteros Ka-50, Ka-52 e Mi-25h eram munidos do canhão 2A42 de 30 mm. Este é o canhão automático mais popular das forças armadas russas. Os veículos BMP-3, BMD-4, BTR-80A e BTR-82A eram armados com o 2A72 de 30 mm. O terceiro canhão era o 2A38 utilizado no carro de combate antiaéreo Tunguska e no Pantsir-s1. Durante as décadas de 80 e 90 estes armamentos cumpriam bem o seu dever, sendo eficientes e precisos. No entanto, os armamentos de nova geração deverão ser armados com canhões de calibre 57 mm.

“Existe a tendência de aumentar o poder dos canhões automáticos”, disse a Sputnik o redator geral da revista Арсенал Отечества (Arsenal da Pátria), Viktor Murakhovsky. Com o passar do tempo a necessidade de novos armamentos aumentam à medida que o provável inimigo moderniza seu arsenal. “Os alvos se tornam cada vez mais bem defendidos no campo de batalha, enquanto que as tropas são transportadas em veículos capazes de resistir impacto de munições de 30 mm. Tanto veículos pesados como leves são equipados com blindagem reativa. A grossura da blindagem também aumentou. As munições de 30 mm não causam os mesmos estragos que antes, independente da distância do tiro”, acrescenta Murakhovsky.

Visitante tira selfie com veículo de combate de infantaria BMP-2 no fórum internacional técnico-militar EXÉRCITO 2019
Visitante tira selfie com veículo de combate de infantaria BMP-2 no fórum internacional técnico-militar EXÉRCITO 2019

Kinzhal para o Armata

Na feira de armamentos Armia-2019 foram mostrados alguns veículos com canhões mais poderosos. Como exemplo o veículo BMP T-15, no chassi do tanque Armata, armado com o canhão, remotamente controlável, DUBM Kinzhal de 57 mm. Sua cadência de tiro supera 80 disparos por minuto, enquanto a velocidade inicial do projétil atinge 1,5 km por segundo. Ele é capaz de penetrar blindagem de 120 mm posta até o ângulo de 60 graus. Segundo o diretor-geral da Военно-промышленная компания (empresa Indústria Militar), Aleksandr Krasovitsky, o DUBM Kinzhal é cogitado para armar o carro de transporte de tropas blindado sobre rodas Bumerang.

A direita do canhão há um pequeno com uma metralhadora PKTM 7,62 mm com 1000 munições. A torre de tiro também está equipada com tubos Tutcha para o lançamento de granadas de fumaça. No lado direito do veículo ficam dois containers armados com mísseis antitanque 9M120 Ataka. No lado oposto localizam-se dois visores eletrônicos. Todo o módulo de combate é controlado a partir de um console especial instalado no veículo.

ZPRK 2S6M1 Tunguska durante demonstração de poder de fogo
ZPRK 2S6M1 Tunguska durante demonstração de poder de fogo

Nos céus como na terra

Durante a feira também foi apresentado o módulo de combate AU-220M Baikal na base de um BMP-3, chamado de Derivatsiya-PVO. O veículo é uma plataforma antiaérea autopropulsada projetada para a defesa de forças terrestres. Sua cadência de tiro é de 120 disparos por minuto, o projétil tem velocidade inicial de 1 km/s e alcance de 12 km. Por vez o veículo pode dar 80 tiros. Além do canhão, há uma metralhadora PKTM 7,62 mm com 500 tiros. Este armamento é a total modernização do canhão antiaéreo AZP-57, desenvolvido na década de 1940. Além de atingir alvos no ar ele pode ser usado para atacar posições em solo.

“Tais canhões aumentam a eficiência de armas antiaéreas contra helicópteros de ataque bem protegidos”, diz Murakhovsky. Ele acrescenta que foi necessário criar uma munição capaz de mudar sua trajetória para serem mais precisas, uma vez que isso é difícil de realizar com munições de 30 mm. O calibre 57 mm também aumenta o raio de destruição causado pelos estilhaços, o que possibilita a destruição de drones.

Em fevereiro deste ano o diretor geral da empresa ЦНИИ Буревестник (TSNII Burevestnik), Georgiy Zakamennykh disse que o AU-220M poderá equipar além de veículos terrestres aeronaves e embarcações da Marinha da Rússia. Sua utilização aumenta consideravelmente o poder de fogo das unidades de infantaria mecanizada, uma vez que ainda não existem veículos transportadores blindados e carros de infantaria capazes de resistir o fogo de 57 mm do AU-220M.

O terceiro módulo de combate com canhão automático de 57 mm é uma das variantes do DUBM Epokha. Inicialmente ele era equipado com o canhão de 30 mm 2A42, no entanto, durante a feira de armamentos Armia-2017 foi apresentada sua modernização com o canhão de assalto de 57 mm LSHO-57.


Futuro incerto

O LSHO-57 foi projetado como um lança-granadas automático sobre rodas para as forças paraquedistas. No entanto, ele não chegou a ser produzido em série, sendo transformado em uma peça de artilharia automática para veículos blindados. Durante a Armia-2017 foi apresentada uma versão modernizada em maquete do Epokha sobre o chassi do BMP-3. Além do canhão, o Epokha foi armado com mísseis antitanque controláveis Kornet.

“Os engenheiros citam o LSHO-57 como uma peça de artilharia de balística moderada, desenvolvida para atacar infantaria”, diz Murakhovsky. Com o passar de muito tempo seu futuro se tornou incerto.

07:51 24.07.2019 (atualizado 09:10 24.07.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários