Katyusha do século 21 substituirá todos os soviéticos

Novo lançador múltiplo de foguetes poderá disparar 40 mísseis em 30 segundos.

Novo lançador múltiplo de foguetes poderá disparar 40 mísseis em 30 segundos.

O Ministério da Defesa da Rússia adquiriu um novo lote de sistemas de lançamento múltiplo de mísseis Tornado-G (MLRS), conhecidos como os “Katyushas do século 21”.

Os sistemas deverão substituir todos seus análogos, já obsoletos, de classe semelhante que restam no exército russo ainda dos tempos soviéticos - conhecidos como “Katyusha”.

O “Katyusha” foi um famoso lançador de foguetes construído e usado pela primeira vez pela União Soviética na Segunda Guerra Mundial. “Katyusha” não era, porém, o nome oficial da arma, mas sim o apelido que ganhou dos soldados.

As tropas do Exército Vermelho tiraram a ideia da música “Katyusha”, muito popular da época e que falava sobre uma garota que aguardava a volta de seu amado, que havia partido para lutar na guerra. O nome oficial do lançador de foguetes era BM-13.



O primeiro lote dos lançadores múltiplos de foguetes já entrou em uso nas unidades de tropas terrestres próximas à cidade de Volgograd (antiga Stalingrad, 970 quilômetros a sul de Moscou). Os novos sistemas serão destinados a todas as unidades especializadas, em todo o território da Rússia.

Caraterísticas técnicas

Como a maioria dos novos projetos militares, o Tornado-G é uma arma secreta. Segundo especialistas militares, o sistema é produzido em duas versões, para mísseis de 122 mm e de 300 mm de calibre. Cada sistema tem 40 tubos de lançamento de mísseis.

Pelo menos quatro novas munições foram desenvolvidas especialmente para o Tornado-G: dois tipos de mísseis com múltiplas ogivas e dois tipos com ogivas de fragmentação. O alcance estimado dos mísseis é de até 40 km.



O lançador dispara todos os 40 mísseis em cerca de 30 segundos.

O Tornado-G também recebeu o novo sistema de controle e orientação remoto, que permite que uma tripulação de duas pessoas determine os alvos e atire sem sair da cabine.

Além disso, o lançador foi equipado com um sistema de navegação por satélite "fechado" que aumenta significativamente a capacidade de disparo, em comparação com seus antecessores soviéticos.

Como resultado, o tempo necessário para a implantação dos lançadores foi reduzido e a precisão de fogo foi aprimorada.

04 de julho de 2019 Russia Beyond

Postar um comentário

0 Comentários