O F-35 não atingirá a meta de 80% de sua capacidade operacional

https://www.airforce-technology.com/wp-content/uploads/sites/4/2018/05/F-35_Image_IBS_AF-2_edit.jpg

O Lockheed Martin F-35 Lightning II não deverá atingir a meta do Pentágono de 80% de sua capacidade operacional até o final do ano fiscal devido à falta de suprimentos.

A escassez do canopy transparente é o principal obstáculo para alcançar o objetivo. As forças armadas estão buscando fontes adicionais para reparar as coberturas danificadas, escreveu o secretário do Exército Mark Esper, candidato do presidente Trump para secretário de Defesa, em 16 de julho, em resposta a questões políticas previamente preparadas pelo Comitê de Serviços Armados do Senado.

O ex-secretário de Defesa, Jim Mattis, ordenou que a Força Aérea, a Marinha e o Corpo de Fuzileiros Navais obtivessem taxas de missão acima de 80% até o final do ano fiscal de 2019.

O F-35 não é a única aeronave que não atingirá esse objetivo. O Bell Boeing MV-22 Osprey também não atingirá sua meta.

"Os índices de prontidão não são os que desejamos", disse o coronel Matthew Kelly, gerente do programa V-22, em maio. "O que eu posso lhes dizer é que eles estão melhorando e coisas como o programa de prontidão do V-22 serão a chave disso."


O Corpo de Fuzileiros Navais antecipa a primeira entrega de um V-22 a partir de seu programa comum de confiabilidade e manutenção de configuração neste verão. O corpo tem mais de 70 configurações diferentes do V-22. Esse programa de preparação deve aliviar a carga do pessoal de manutenção para que haja apenas algumas configurações.

Em janeiro, o governo assinou um acordo de engenharia e logística baseado em desempenho com a Bell Boeing para alinhar incentivos com a indústria e a frota, disse Kelly.

"Vimos uma redução de 40% em aeronaves paradas por longo tempo desde o início deste ano", disse ele.

Durante o ano fiscal de 2017-18 a taxa de prontidão do V-22 aumentou 7% e no ano fiscal de 2018-19 o governo viu outro aumento de 5%, disse ele.

"Nós vimos algumas coisas boas", disse Kelly. “Não estamos aonde queríamos estar, mas achamos que temos os incentivos, ferramentas e contratos certos para colocar esses números onde eles deveriam estar.”

Traduzido por Pacto de Varsóvia

16 de julho de 2019 Aviation Week

Postar um comentário

0 Comentários