Satélite 'espião' cai no Atlântico após lançamento fracassado de foguete europeu

Foguete Ariane 5 sendo lançado do cosmódromo de Kourou na Guiana Francesa, em 25 de janeiro de 2018 (imagem referencial)

A gravação mostra o lançamento malsucedido do foguete portador Vega levando a bordo o satélite de observação Falcon Eye 1 dos Emirados Árabes Unidos.

A vice-presidente de missões, operações e compras do consórcio europeu Arianespace, Luce Fabreguettes, informou que o lançamento do satélite militar "espião" falhou dois minutos após a decolagem, desviando-se da rota e caindo no oceano Atlântico.

"Cerca de dois minutos após a decolagem […] uma grande anomalia frustrou a missão", disse Fabreguettes.

Nas imagens é possível ver que, imediatamente após o lançamento, ocorrido às 22h53 de 10 de julho da hora local (mesmo horário em Brasília) do Cosmódromo de Kourou na Guiana Francesa, a trajetória do foguete gradualmente começa a mudar.


Um veículo de lançamento Vega da Arianespace (voo VV15) lançou o satélite de observação da Terra FalconEye1, do Complexo de Lançamento dos Vega (SLV) em Kourou, Guiana Francesa, em 11 de julho de 2019, às 01:53:03 UTC (10 de julho, às 22:53:03 hora local)

Luce Fabreguettes, vice-presidente da Arianespace, uma das principais empresas que oferecem serviços de lançamento de satélites, pediu desculpas aos clientes pela perda do aparelho. Ela acrescentou que o consórcio fornecerá detalhes do acidente depois de analisar o que aconteceu.

O lançamento do satélite Falcon Eye havia sido adiado duas vezes devido ao mau tempo.
Metas do programa espacial

O Falcon Eye seria o décimo satélite dos Emirados Árabes Unidos em órbita terrestre. Até 2020, o país planeja expandir a sua frota orbital para 12 satélites.

Em outubro passado, os Emirados Árabes Unidos lançaram o satélite de observação da Terra KhalifaSat, da base espacial de Tanegashima, no Japão.

O ambicioso programa espacial da monarquia árabe inclui igualmente o envio de seu primeiro astronauta para a Estação Espacial Internacional (EEI), a bordo de uma nave russa Soyuz em setembro, bem como o lançamento de uma sonda em direção a Marte em 2020.

06:28 11.07.2019 (atualizado 07:40 11.07.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários