Uma aventura albanesa: um tesouro da Guerra Fria


Este bunker é um tipo de cápsula do tempo da Guerra Fria que raramente será visto. É um estranho Museu de Arte de Guerra sem bilheteria.

Em 2016, eu e meu amigo pilotamos nossas Harleys até os campos de batalha da ex-Iugoslavia. Depois de uma longa viagem pela Holanda, cruzamos as mais pacíficas e cênicas estradas costeiras ao longo do Mediterrâneo, de Trieste na Itália até a Eslovênia, Croácia, Bósnia e Montenegro.

Nosso destino final foi planejado para ser a Albânia, por um bom motivo. Eu sabia que havia um complexo secreto de bunkers e uma base da Força Aérea deixados pela Guerra Fria, chamada Gjader.

Foram construídos pelo ditador Hoxha, um auto-intitulado marxista  que governou o país de 1944-1985. Com uma admiração fanática por Stalin, ele ficou paranoico e temia por um ataque não da Otan, mas da Iugoslávia, quando Tito rompeu com Stalin.

Hoxha começou a construir este enorme complexo subterrâneo, além de milhares de bunkers que deveriam ser protegidos por uma enorme frota de Migs, caminhões e armas, todos excedentes de "projetos russos descartados", parcialmente construídos pelos chineses.

Surpreendentemente, em 1994, quando a Guerras da Iugoslava se intensificou, a CIA usou essa base para suas operações de coleta de informações sobre a Bósnia contra o Exército Sérvio.

O C-139 Hercules da USAF  voou com os UAV Predators com uma equipe de 70 homens, bem escondida em um complexo de cinco andares até 1996. Você não concorda que este é um lugar interessante para visitar?

Este bunker é um tipo de cápsula do tempo da Guerra Fria que, como você raramente verá, é um estranho Museu de Arte de Guerra sem uma uma bilheteria.

Isso era um tesouro escondido, me senti como Ali Baba na Albânia!


Bem, para mim, certamente valeu a pena uma longa viagem a um país muito isolado, talvez porque a história tenha tomado um rumo diferente.

O aeródromo de Gjadër é único na Albânia ao ser construído perto de uma montanha. Foi construído para permitir que as aeronaves, após o pouso, entrassem em um túnel sob a montanha. Os túneis têm capacidade para armazenar cerca de 50 aeronaves e pessoal. Como o aeródromo está localizado no lado da montanha, os pilotos têm que tomar cuidado para não virar quando decolam, pois podem colidir contra os lados da montanha.

Em 12 de março de 1997, a base foi invadida pela população local durante uma revolta nacional contra o governo albanês. Vários edifícios, incluindo a torre de controle, foram destruídos. Em 16 de março, os soldados abandonaram a base aérea. A falta de fundos impediu que a base fosse reparada e as operações de voo cessaram em 2000. Agora ela é usada como uma instalação de armazenamento para aeronaves de caça retiradas de serviço. Nenhuma aeronave da força aérea albanesa está permanentemente baseada lá.

Para o resto da história, confira as próximas fotos para mais detalhes.

















Todos os créditos das fotos para Lana Sator.

Quando estávamos prestes a chegar com nossas Harleys a Albânia, perto da fronteira com Montenegro, já havíamos encontrado uma situação complicada com um policial. O cara tinha se escondido no mato ao longo da estrada enquanto eu me aproximava dele com a minha Harley rugindo.

Admito que andei um pouco rápido, 100 a 110 km/h, eu acho.

De qualquer forma, rápido demais para o que aconteceu depois.

Ele usava uma espécie de roupa de camuflagem e, do nada, seis metros e meio na frente da minha roda da frente, ele saltou com as duas mãos no ar como um sinal de parada. Como um gato em pânico, ele ficou lá no meio da estrada, olhando para mim e, sem dúvida, se perguntando como eu conseguiria evitá-lo.

Felizmente, ele percebeu que era uma manobra kamikaze complicada, então decidiu em uma fração de segundo saltar de volta para o mato onde havia se escondido.

Certamente salvou meu dia e sua vida, e depois? Bem, ele estava fora do caminho, então eu simplesmente segui em frente, normalmente, rezando para que ele não alertasse o posto de fronteira que estávamos nos dirigindo sobre esse ataque auto-infligido.

O bunker albanês Gjader está cheio de Migs chineses em túneis intermináveis, bem protegidos contra o vizinho malvado da Iugoslávia, Tito, que rompeu com a URSS. Ele nunca veio e provavelmente nunca se interessou, enquanto a Albânia se isolou totalmente, tornando-se a República das Trevas.


Após a morte de Stalin, Hoxha voltou-se para Mao e tornou-se o único Estado governado pelos maoistas na Europa. Mas quando ele também morreu, as opções da Albânia para mais loucuras comunistas foram esgotadas, sem mais um Big Brother, e o hoxhaismo tornou-se a última regra. Foi aquele alívio para o ditador, mas não para a população.

Quando finalmente chegamos à Albânia, o contraste com o resto das ex-repúblicas da Iugoslavia não podia ser mais forte. Onde a Eslovênia, a Croácia, etc. haviam abraçado o turismo internacional e estavam ocupadas construindo infra-estrutura moderna com rodovias e marinas ao longo de toda a magnífica costa, a Albânia era dissonante com um sistema rodoviário muito ruim.

Pior ainda, o caos completo do trânsito, onde não apenas carros, caminhões e ônibus ocupavam seu lugar na via pública, mas também as cabras, as vacas e as ovelhas ocupavam sua parte. Nenhum participante parecia se importar com a regra básica do trânsito: mantenha-se à direita. Em vez disso, eles continuaram (fazendo isso) errado!

Se um motorista de táxi precisa de um cliente, ele de repente se vira para o lado esquerdo da estrada e bloqueia todo o tráfego de entrada. A sinfonia de buzinas resultante não é realmente um bom argumento para tirá-lo do caminho. Para piorar as coisas nesta cena, um enorme rebanho de ovelhas está cruzando e bloqueia a estrada para uma enorme parada no banheiro. Ninguém se importa com porcaria nenhuma.

É incrível que esta base da Força Aérea tenha sido invadida pela revolta da população local em 1997. Eles conseguiram destruir a torre de controle, mas deixaram intactos os transportes, armas e jatos. O complexo foi deixado para trás em um estado lastimável, mas sem acesso público até muito recentemente.


Quando chegamos à cidade de Shkoder, no norte da Albânia, para uma pernoite, encontramos uma situação muito dualista, mas pacífica. Nós vimos uma mesquita enorme na rua principal e no outro lado da mesma estrada uma enorme catedral católica. Era como shoppings competindo com muitos letreiros e música.

O diretor do hotel insistiu em que estacionássemos nossas Harleys dentro da área do hotel fechado, já que essas motos eram coisas muito procuradas no que parecia ser próximo a um País do Terceiro Mundo.

Estacionados dentro e fora dos bunkers estão grupos de três tipos de MiG:

1) O Shenyang J-5 (nome da OTAN: 'Fresco') é um interceptador e caça a jato de um único assento construído na China, derivado do Mikoyan-Gurevich MiG-17 soviético.

2) Shenyang J-6, que é a versão chinesa do caça soviético MiG-19 'Farmer'.

3) versão de exportação Chengdu J-7 F-7; Nome da OTAN: 'Fishcan' é uma versão de licença chinesa do Mikoyan-Gurevich MiG-21 soviético.

No hotel, falei com o diretor. Ele sabia sobre a base da Força Aérea Gjader, mas tinha certeza de que o acesso para mim seria impossível. Em 2016, parece que cheguei cedo demais, pois mais tarde ouvi dizer que os Bunkers subterrâneos ofereceram recentemente acesso limitado ao público.

Traduzido por Pacto de Varsóvia

13 de abril de 2019 War History

Postar um comentário

0 Comentários