Agência nuclear russa dá detalhes sobre a explosão fatal do motor nuclear de foguete

Não foi revelado que tipo de míssil estava envolvido no teste do motor classificado. O retratado é um teste do novo míssil balístico intercontinental pesado da Rússia, o Sarmat, no norte da cadeia de testes de Plesetsk. ©  Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

A explosão de um motor de míssil secreto movido por isótopos foi tão poderosa que destruiu o aparelho em pedaços e lançou trabalhadores de uma plataforma marítima, informou a agência nuclear russa Rosatom. As buscas pelos desaparecidos duraram o dia todo.

Detalhes dramáticos da tragédia que abalou a região de Arkhangelsk esta semana, e que alimentaram tabloides ocidentais com rumores de um novo desastre semelhante ao de Chernobyl, foram compartilhados pela estatal de energia atômica no sábado.

Foi revelado que a explosão, que matou cinco funcionários e feriu gravemente outros três, ocorreu em uma plataforma marítima após uma sequência de testes.

O teste do "motor de propelente líquido" secreto iniciou sem problemas, mas depois o dispositivo pegou fogo e explodiu, disse Rosatom.

A explosão lançou vários funcionários no mar, dando alguma esperança de encontrá-los vivos.

A água em altas latitudes é gelada mesmo no verão, mas as tentativas de busca duraram o dia todo, até que as esperanças se desvaneceram. Só então os cinco agentes foram declarados mortos.

Mais três trabalhadores foram hospitalizados com vários traumas e queimaduras. A agência elogiou o trabalho dos funcionários, que, segundo ele, estavam bem conscientes da natureza perigosa dos testes experimentais de motores.

Os cinco que pereceram estavam trabalhando em uma "fonte de energia isotópica" para um sistema de propulsão. Um aumento na radiação de fundo foi registrado no local do teste, mas as medições teriam retornado ao normal em breve.


A cidade de Severodvinsk, localizada a cerca de 30 quilômetros a leste da área de testes e abrigando um dos principais estaleiros da Frota do Norte da Rússia, adicionou combustível a rumores depois que as autoridades divulgaram - e apagaram - notícias de um breve aumento de radiação para 0,11 microsieverts por hora. estando em 0,6. O relatório disse que durou apenas meia hora e que a média diária não foi seriamente afetada.

O sigilo em torno do teste malfadado inevitavelmente deu origem a teorias da conspiração.

Fotos de equipes de descontaminação fazendo medições e ambulâncias especialmente preparadas transportando os feridos foram usadas para reforçar algumas manchetes da mídia sensacionalista, enquanto os tabloides especulavam sobre o tipo de arma envolvida no teste.

No entanto, os rumores de um grave encobrimento radioativo eram sem fundamento, e a vizinha Finlândia não registrou qualquer desvio dos níveis normais. Enquanto isso, os militares russos refutaram um relatório de que um navio da Rosatom, capaz de coletar lixo radioativo, foi enviado a Severodvinsk, dizendo que na verdade estava passando por testes programados.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

10 ago, 2019 15:41 RT

Postar um comentário

0 Comentários