Análise completa do primeiro voo do S-70 Okhotnik-B da Rússia



O Sukhoi S-70 Okhotnik-B (Caçador-B) da Rússia, veículo de combate aéreo não tripulado, ou UCAV, voou recentemente pela primeira vez e agora o Ministério da Defesa do país divulgou o vídeo do voo. Imagens do drone surgiram pela primeira vez na mídia social russa em janeiro.

O Ministério da Defesa da Rússia anunciou a conquista oficialmente na semana passada, apesar de não fornecer imagens. O S-70 voou por mais de 20 minutos, navegando a uma altitude de cerca de 600 metros em uma rota em torno de uma base aérea não especificada, de acordo com a recente declaração oficial. Este primeiro voo foi programado originalmente para ocorrer na primavera, mas foi adiado por razões desconhecidas.

Não está bem claro onde ou quando este teste ocorreu. Em maio de 2019, imagens de satélite e declarações oficiais do governo russo confirmaram que pelo menos um Okhotnik-B estava no 929º Centro de Testes de Voo do Estado de Chkalov, na região sudoeste de Astrakhan. No entanto, um  relatório separado da AINonline em junho diz que o primeiro voo ocorreu em 25 de maio na fábrica da Sukhoi em Novosibirsk Aircraft Production Association (NAPO) na região de mesmo nome.


O vídeo que o Ministério da Defesa da Rússia divulgou agora, mostrado abaixo, mostra o drone taxiando, decolando, voando ao redor da base e aterrissando. O UCAV, que está aproximadamente na mesma classe de tamanho do X-47B da Northrop Grumman, agora está ostentando o número 071 em vermelho na lateral da fuselagem, bem como o novo esquema de pintura que foi anteriormente observado nas imagens de satélite em Chkalov. Ainda não está claro se isso significa que este é um projeto refinado, ou até mesmo um protótipo adicional daquele visto nas imagens que apareceram em janeiro.



A diferença mais visível no vídeo do voo de teste do drone é a adição de duas sondas de dados de voo temporárias instaladas no bordo de ataque da asa, uma de cada lado da entrada de ar principal. Isso não é incomum para ver durante os testes de voo. Um avião furtivo RQ-170 Sentinel da Força Aérea dos EUA foi flagrado em 2017 com uma sonda semelhante em uma aparente série de testes da Base Aérea de Vandenberg na Califórnia, relatado em primeira mão pelo Zona de Guerra.

A configuração do trem de pouso, bem como as entradas de ar e as antenas no topo e sob a fuselagem, parecem praticamente inalteradas em relação às que foram vistas nas fotos de janeiro de 2019, que teriam sido feitas durante um teste no NAPO.

Uma olhada na frente do S-70 a partir do vídeo oficial de teste de voo, mostrando, entre outras coisas, as duas sondas de dados aéreos.
Uma olhada na frente do S-70 a partir do vídeo oficial de teste de voo, mostrando, entre outras coisas, as duas sondas de dados aéreos.

Uma visão frontal do S-70 que surgiu online em janeiro de 2019.
Uma visão frontal do S-70 que surgiu online em janeiro de 2019.

O escape do motor do drone também permanece totalmente exposto. Nós ainda não sabemos que tipo de motor o UCAV usa, mas uma variante da série Saturn AL-31F encontrada na família de caças Flanker da Sukhoi continua sendo uma possibilidade. Você pode ler aqui a análise completa da Zona de Guerra do projeto S-70 com base no que foi visto em janeiro, avaliações que permanecem praticamente inalteradas.

Uma olhada na parte traseira do S-70 do vídeo de teste de voo.
Uma olhada na parte traseira do S-70 do vídeo de teste de voo.

Uma visão traseira do S-70 que surgiu em janeiro de 2019.
Uma visão traseira do S-70 que surgiu em janeiro de 2019.

O Ministério da Defesa da Rússia declarou que as principais missões do S-70 serão de inteligência, vigilância e reconhecimento, usando sensores eletro-ópticos e infravermelhos e sistemas de coleta de dados, bem como guerra eletrônica. No entanto, seu tamanho geral permitiria acomodar armas internamente.

Os russos também continuam afirmando que as aeronaves não tripuladas usam estruturas compostas e revestimentos especiais para torná-las "praticamente invisíveis" ao radar, mas o projeto atual permanece longe de ser muito furtivo. O problema mais óbvio é o arranjo do motor, que parece ter a entrada e a exaustão relativamente em linha, bem como nenhuma cobertura do escapamento, características que podem apenas prejudicar as características de baixa observáveis ​​do drone. As várias entradas e antenas que pontilham a fuselagem apenas agravam esses problemas, embora alguns provavelmente sejam instalados apenas para finalidade de teste.



Steve Trimble, nosso amigo e editor de defesa da Aviation Week, também observou como o projeto das asas de Hunter-B tem uma grande semelhança com o oficialmente aposentado F-117 Nighthawk, mas que ainda está voando. O enflechamento de sua asa é um pouco semelhante à do F-117, mas vale a pena notar que a mesma configuração geral de ponta de asa também é usada pelo RQ-170 Sentinel. Seria negligência da nossa parte não mencionar que a asa voadora da Skunk Works, o drone espião Sentinel, lembra o projeto da Okhotnik-B da Rússia de várias maneiras além de somente o projeto da ponta da asa. Imagina-se que exemplar que caiu em mãos iranianas foi pelo menos  examinado por engenheiros russos. Onde era tecnologicamente possível e lógico, Moscou teria incorporado seus segredos em seu projeto do Okhotnik-B e os conceitos operacionais que são derivados dele, muitos dos quais estão sob sua superfície.


Como a War Zone notou anteriormente, o grande enflechamento de asa do drone, combinado com a configuração do motor, poderia dar ao Okhotnik-B maior desempenho, potencialmente permitindo que ele voasse em velocidades transônicas ou mesmo supersônicas, mesmo que apenas em trajetos curtos. Um projeto menos furtivo, mas de maior desempenho, capaz de acompanhar jatos de combate tripulados, poderia transformar o S-70 em um "ala de confiança" viável, especialmente para os jatos de combate avançados Su-57 da Rússia. Já vimos evidências de que existe alguma ligação entre esses desenvolvimentos tripulados e não-tripulados na Sukhoi.


Parece provável que o Kremlin ainda esteja trabalhando no desenvolvimento do perfil de operação do S-70, e como ele pode se encaixar em outras plataformas, apesar dos comentários sobre as configurações das missões esperadas pelo drone. Com a história da Rússia de adiar, cancelar e reviver programas avançados de aeronaves de combate, é possível que os planos gerais para Okhotnik-B não sejam necessariamente rígidos.



Notavelmente, os drones já haviam oferecido um meio de baixo custo para expandir as capacidades  de combate aéreo avançadas da Força Aérea Russa no lugar do Su-57. No entanto, o Kremlin recentemente reverteu sua decisão de colocar em espera indefinida a produção em série desses caças a jato tripulados e agora diz que comprará até 76 deles nos próximos anos.

Agora que o S-70 iniciou o teste de voo, podemos começar a aprender mais sobre suas capacidades exatas e como o Kremlin planeja usá-las.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

7 DE AGOSTO DE 2019 The Drive

Postar um comentário

0 Comentários