Após teste dos EUA, Moscou afirma que não participará de corrida armamentista


Teste do míssil de cruzeiro foi realizado no dia 18 de agosto na ilha de San Nicolas, na Califórnia, EUA. O míssil viajou por mais de 500 km, superando o que era antes estabelecidos por tratados entre EUA e Rússia.

Moscou não deixará que a envolvam na corrida armamentista, segue uma política de não implantar mísseis enquanto os EUA não o fizerem, afirma dirigente do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.


"Sublinhamos que encaramos calmamente o que aconteceu, sem emoções. Nós prevíamos que os eventos evoluiriam nesta direção [...], mas não permitiremos que nos envolvam na corrida armamentista", declarou vice-chanceler russo Sergei Ryabkov, na terça-feira (20).

Ele adicionou que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, tinha anunciado na segunda-feira (19), durante a sua visita à França, que a Rússia tenciona observar uma política de moratória unilateral quanto à implantação de sistemas de mísseis banidos pelo Tratado INF, enquanto os EUA não os implantarem em qualquer lugar do mundo.

Teste de míssil antes proibido pelo INF


O Pentágono anunciou ter realizado o teste de um míssil de cruzeiro antes banido pelo tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF). O míssil alcançou o alvo com sucesso depois de voar mais de 500 quilômetros.

05:56 20.08.2019 (atualizado 06:52 20.08.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários