Força aérea alemã está incapaz de treinar seus pilotos por falta de aviões

Apenas 39 dos 128 jatos Eurofighter da Alemanha estavam disponíveis para combate ou treinamento no ano passado. CRÉDITO: © MBDA

THE TELEGRAPH - A Força Aérea Alemã não está conseguindo cumprir os requisitos mínimos de treinamento da Otan porque não tem aeronaves suficientes para seus pilotos voarem, surgiu na segunda-feira.

Quase metade dos pilotos da Luftwaffe não conseguiram cumprir a meta da Otan de 180 horas de voo no ano passado, porque suas aeronaves foram imobilizadas por problemas de manutenção.

Apenas 512 dos 875 pilotos da Força Aérea conseguiram atingir a meta, admitiu o governo alemão em resposta escrita a uma pergunta parlamentar.

A divulgação aumentará as preocupações entre os aliados da Otan na Alemanha em relação ao subfinanciamento crônico.

"A Luftwaffe está em baixa", disse o tenente-general Ingo Gerhartz, chefe da equipe da força aérea, em um evento da indústria de defesa em Berlim no mês passado.

“As aeronaves estão imobilizadas devido à falta de peças de reposição ou nem mesmo estão no local, já que estão em manutenção”.

Surgium em fevereiro que em média apenas 39 dos 128 jatos Eurofighter da Alemanha e 26 de seus 93 caças mais antigos Tornado estavam disponíveis para combate ou treinamento no ano passado.

Os últimos detalhes deixam claro o grau da tarefa  que Annegret Kramp-Karrenbauer deverá enfrentar, vista amplamente como a sucessora escolhida por Angela Merkel, que assumiu o cargo de ministra da Defesa no mês passado.


A agência militar do parlamento alemão alertou no ano passado que a escassez de equipamentos militares é tão grave que o país não pode cumprir seus compromissos com a Otan.

A Alemanha está sob intensa pressão dos EUA para aumentar os gastos com defesa. O presidente Donald Trump pediu que cumprirem a meta da Otan de gastar 2% do PIB em defesa.

Mas o governo de Merkel recuou desde então nas promessas de aumentar os gastos com a defesa em face da oposição de seu principal parceiro de coalizão, os social-democratas (SPD).

Apesar das promessas tanto de Merkel quanto de Kramp-Karrenbauer de avançar em direção à meta, os atuais gastos alemães com a defesa continuam muito aquém do valor de somente 1,3% do PIB.

Agora há preocupações de que os pilotos estejam deixando a Força Aérea frustrados por não conseguirem voar. Seis pilotos demitiram-se no primeiro semestre do ano passado, em comparação com um total de 11 nos cinco anos anteriores

“Um piloto só é bom no ar, não no chão. Nossa força aérea precisa de horas de voo suficientes”, disse Alexander Graf Lambsdorff, um parlamentar da oposição Free Democrats (FDP).
Traduzido por Pacto de Varsóvia.

5 DE AGOSTO DE 2019 14:41 The Telegraph

Postar um comentário

0 Comentários