Mais detalhes sobre o caça russo de 5ª geração Su-57 que será produzido em série




A produção em série da caça de quinta geração Su-57 (T-50) já começou na Rússia, de acordo com uma brochura publicada por ocasião do 80º aniversário do Escritório de Projetos Sukhoi, o principal projetista do programa PAK-FA da Força Aérea Russa.

O primeiro contrato para a compra de 76 caças desse modelo, destinado a fornecer-lhes três regimentos, foi fechado com o Ministério da Defesa da Rússia no final de junho de 2019, segundo o ministro da Indústria e Comércio, Denís Mánturov.

A produção em série deste caça furtivo multifuncional é realizada em uma fábrica localizada na cidade de Komsomolsk del Amur, no Extremo Oriente da Rússia.

Nascido conceitualmente nas pranchetas do Escritório de Projetos da Sukhoi nos anos 80, o início real do projeto data da primeira década do século XXI.

Desde fevereiro de 2018, alguns caças Su-57 foram testados em condições de combate na Síria.

Deve-se notar que vários dos recursos do dispositivo ainda são mantidos em segredo. Abaixo, oferecemos alguns dados técnicos deste avião, que ainda está sujeito a algumas modificações.


Informações Gerais: 

Muitas das informações sobre o T-50 ainda são classificadas. Por este motivo, apenas as características aproximadas da aeronave são conhecidas. Devido às suas características de tamanho e peso de decolagem, ele corresponde a um caça multifuncional pesado, análogo ao russo Su-27 ou aos F-15 ou F-22 dos EUA.


A aeronave atende a todos os requisitos para um caça de quinta geração: uma seção transversal de radar bastante reduzida (varia de 0,1 a 1,0 metros quadrados, dependendo de vários fatores), velocidade de cruzeiro supersônico, potente radar AESA, capacidade de manobrar em grandes ângulos de ataque e sobrecargas e eletrônica avançada, bem como a capacidade de executar uma ampla variedade de missões.



Furtividade: 

patente  do caça multifuncional desenvolvido pelo consórcio Sukhoi especifica que a seção transversal do radar - uma característica básica de visibilidade de uma aeronave contra o radar do adversário - poderia ser reduzida a um valor entre 0,1 e 1 metro quadrado (15 vezes menor que a do Su-27 e aeronaves desta família), dependendo de vários fatores, como o ângulo em direção às ondas do radar inimigo ou as frequências de ondas emitidas pelo radar, para citar apenas alguns.

Alexander Davydenko, projetista-chefe do projeto PAK-FA, que se tornou realidade sob o nome Su-57, indicou anteriormente que a seção transversal de radar "real" do US  Raptor F-22  está entre 0,3 e 0,4 metros quadrados.


Radar: AESA de 400 quilômetros de alcance desenvolvido pelo escritório Tijomirov.

Propulsão: dois motores com empuxo vetorial 117S (AL-41F1S, na Rússia), considerados como os do "primeiro estágio" do desenvolvimento da aeronave. Seu impulso pós-combustão é de cerca de 15.000 quilos de energia.



O motor principal, ou o chamado "artigo 129", com cerca de 19.000 kg/potência de propulsão após a combustão - que fornecerá ao Su-57 uma relação empuxo / peso de 1.3 e surpreendentes características dinâmicas e de manobrabilidade - está sendo desenvolvido no escritório de projetos da Saturn e espera-se que esses motores sejam instalados em aviões já fabricados e futuros em meados de 2020.



Velocidade indicada em altura: 2.100 e 2.600 quilômetros por hora (após a combustão)

Pontos de ancoragem: 8 dentro da fuselagem com opção de mais 8 externos.

Armamento: ampla gama de 12 mísseis guiados de curto e médio alcance, além de dois poderosos mísseis para combate de longo alcance (como mísseis de cruzeiro tipo X-58UShKE com alcance de 250 quilômetros), um deles anti-radar. Sistema de guerra eletrônica Himalaia, que substituirá o atual Jibiny.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

29 de julho de 2019 19:29 GMT (Última atualização: 30 de julho de 2019 11:19 GMT) RT

Postar um comentário

0 Comentários