Medo da China foi o motivo da saída dos EUA do Tratado INF

Lançamento do míssil balístico terra-terra ATACMS, nas águas do mar do Leste, na costa da Coreia do Sul, em 5 de julho de 2017

Na Casa Branca afirmaram que a causa da saída dos EUA do Tratado INF foi a China. O especialista militar Aleksei Podberezkin comenta a declaração dos EUA em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, afirmou que uma das causas da saída dos EUA do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) foi o fato de a China ter obtido mísseis deste tipo.

No dia seguinte após o abandono do Tratado INF, o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, afirmou ser a favor da implantação de mísseis terrestres de médio alcance na Ásia.

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, Aleksei Podberezkin, diretor do Centro de Pesquisas Políticas e Militares do Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou (MGIMO, na sigla russa), frisa que os EUA veem na China uma forte ameaça.

"Atualmente, para os EUA, a China representa a principal ameaça, acham eles, e é por isso, em particular, que as forças da Marinha dos EUA estão sendo ativamente fortalecidas. Primeiramente, porque a China está se tornando cada vez mais comparável com os EUA no domínio da tecnologia, da economia e na área militar. Por conseguinte, os americanos podem ter decidido que as forças nucleares da Marinha dos EUA, têm muitos mísseis de cruzeiro, e as bases no Japão já não são suficientes para assegurar a vantagem dos EUA. Portanto, o centro do principal confronto agora está sendo transferido da Europa para a região Ásia-Pacífico", disse Aleksei Podberezkin.

O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário foi revogado no dia 2 de agosto, por iniciativa dos EUA. Washington tem acusado Moscou de ter violado o acordo, mas não apresentou nenhumas provas. A Rússia negou as alegações.

08:25 07.08.2019 (atualizado 08:50 07.08.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários