Pentágono rescinde contrato multibilionário de projeto problemático da Boeing

O Pentágono cancelou seu grande esforço para redesenhar o veículo destruidor de seu sistema de Defesa de Meio Curso Baseada em Terra. Agora, o departamento abrirá uma nova licitação. (Agência de Defesa de Mísseis dos EUA)

O Pentágono abandonou a “pausa estratégica” no programa Redesigned Kill Vehicle (RKV) para matá-lo.


O Departamento de Defesa decidiu rescindir o atual contrato com a Boeing para desenvolver o RKV - com vigência a partir de 22 de agosto - “devido a problemas técnicos de projeto”, de acordo com uma declaração do departamento em 21 de agosto.

A Raytheon é a real desenvolvedora do RKV e serve como sub-contratada da Boeing.

O RKV deveria ter substituído o atual Veículo Exoatmosférico de Destruição (EKV) pelo Interceptador Baseado em Terra, que compõe a Defesa de Meio Curso Baseada em Terra (GMD, Ground-Based Midcourse Defense) projetado para proteger o país de ameaças de mísseis balísticos. Ele também deveria ser instalado em todos os futuros interceptores baseados em terra - até um total de 64.

O EKV é projetado para destruir alvos em colisões de alta velocidade após a separação do foguete de propulsão.

O EKV exigiu mudanças técnicas nos últimos anos devido a problemas nos testes. A Agência de Defesa contra Mísseis decidiu iniciar um programa para redesenhar o veículo destruidor. Enquanto isso, o MDA realizou vários testes bem-sucedidos do sistema GMD com o EKV após mudanças de engenharia.

Agora que o RKV está descartado, o Pentágono planeja avançar com uma nova licitação para um interceptador de nova geração, disse o comunicado.

De acordo com um oficial de defesa, não serão construídos mais interceptadores terrestres, e todos os futuros interceptadores instalados como parte do sistema GMD serão os novos interceptadores.

"Acabar com o programa foi a coisa responsável a fazer", disse em um   comunicado Mike Griffin, subsecretário de defesa para pesquisa e engenharia. “Programas de desenvolvimento às vezes encontram problemas. Depois de executar a devida diligência, decidimos que o caminho que estamos seguindo não seria frutífero, então não seguiremos mais esse caminho. Essa decisão apóia nossos esforços para dar valor a todos os dólares que os contribuintes gastam com defesa.”

Com a bênção do subsecretário de defesa, Griffin tomou a decisão em 14 de agosto de encerrar o programa, uma semana depois de ter dito aos repórteres no Simpósio de Defesa Espacial e Mísseis em Huntsville, Alabama, para esperar por uma decisão em breve sobre o caminho a seguir para o RKV.

A MDA e a Boeing em dezembro de 2018 adiaram uma revisão crítica de projeto da RKV “devido à falha de certos componentes críticos em atender aos requisitos técnicos, conforme especificado no contrato de desenvolvimento”, observou o comunicado.

Depois que o MDA avaliou os problemas, emitiu uma ordem de interrupção no contrato em maio para analisar outras opções.

"O departamento acabou determinando que os problemas técnicos do projeto eram tão significativos a ponto de serem intransponíveis ou de custos proibitivos para serem corrigidos", diz o comunicado.

Segundo o comunicado, o DoD planeja levar os dados obtidos nas pesquisas e testes do RKV antes de seu cancelamento para incluí-los no programa do interceptador de nova geração, “que incluirá um novo veículo destruidor”. 

A Raytheon disse em comunicado que "a US Missile Defense Agency está atualizando suas exigências diante de um ambiente de ameaças cada vez mais complexo". A empresa "apoia sua decisão de interromper o trabalho no veículo de resgate reestruturado (RKV) e iniciar uma competição para o interceptador de nova geração para atender a essas ameaças avançadas. A Raytheon continuará a desenvolver e oferecer uma ampla gama de tecnologias avançadas de defesa contra mísseis disponíveis para proteger os Estados Unidos agora e no futuro”.

Existem 44 interceptadores terrestres em vigor em Fort Greely, no Alasca, e na Base Aérea de Vandenberg, na Califórnia, com planos de adicionar 22 silos de mísseis adicionais em Fort Greely para suportar mais 20 interceptadores terrestres.

O funcionário da defesa disse que o Pentágono ainda está trabalhando nos detalhes de uma nova competição de interceptação da próxima geração, incluindo quando será iniciada e o ritmo no qual a tecnologia será desenvolvida e implementada.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

22 agosto 2019 Defense News

Postar um comentário

0 Comentários