Problemas continuam atormentando programa do caça F-35

Caça F-35B (foto de arquivo)

REUTERS - O senador norte-americano Chuck Grassley pediu na quinta-feira ao recém-confirmado secretário de Defesa, Mark Esper, informações sobre os custos excedentes e problemas técnicos que "atormentam" o programa do Pentágono de jatos F-35.

O Departamento de Defesa não conseguiu manter registros adequados sobre os custos do programa e instalou peças que não estavam prontas para uso, de acordo com relatórios do inspetor geral do Pentágono em março e junho.

Essas falhas, disse Grassley em uma carta para Esper, resultaram em “desperdício financeiro e mais atrasos para a prontidão de operação” do avião e “potencialmente arriscaram a vida” dos pilotos que voam o F-35.

O Escritório do Programa Conjunto do Pentágono, que administra o programa F-35, não respondeu imediatamente ao pedido de comentários.

A Lockheed Martin Corp., principal empreiteira do programa, disse em um comunicado que "espera realizar uma parceria com o Escritório Conjunto de Programas", enquanto o Pentágono ajusta os procedimentos para tratar dos relatórios.

A Lockheed também disse que gerencia todos os registros de propriedade do governo de acordo com seus contratos.



As peças da Lockheed instaladas pelo Pentágono não estavam prontas para instalação porque não tinham registros eletrônicos, disse o inspetor geral em junho. Os funcionários do Departamento de Defesa foram obrigados a manter registros manuais, segundo o relatório de junho.

A instalação das peças aumentou o tempo de voo dos aviões “em prontidão” e, por sua vez, inflacionou as taxas de incentivo pagas à Lockheed pelo Departamento de Defesa por horas de voo prontas para missões, informou o relatório de junho.

O Escritório Conjunto de Programas sabia sobre o assunto, mas "não tomou medidas adequadas" para resolvê-lo, disse Grassley, citando o relatório de junho.

Um relatório anterior em março descobriu que o Pentágono "não sabe o valor real" dos F-35 comprados pelo governo porque não conseguiu manter um registro independente, deixando a Lockheed e seu subcontratado com o único registro da propriedade, com valor estimado pela Lockheed em US $ 2,1 bilhões.

O Departamento de Defesa não tem nenhum mecanismo para verificar o histórico da Lockheed, segundo o relatório de março.

Enquanto estes problemas persistirem, eles “continuarão sangrando dinheiro” do programa e ameaçarão a prontidão e segurança dos aviões, observou Grassley. (Reportagem de Bryan Pietsch, edição de G Crosse)

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

1º DE AGOSTO DE 2019 / 21:13 / REUTERS

Postar um comentário

0 Comentários