Drone Okhotnik testará suas armas em 2020

Drone Okhotnik testará suas armas em 2020

O último drone de ataque pesado da Rússia, Okhotnik (Caçador), disparará suas armas pela primeira vez durante testes em um aeródromo militar no sul da Rússia em 2020, disse uma fonte da indústria de defesa nacional à TASS na quarta-feira.

"Os testes do Okhotnik em Akhtubinsk serão continuados em 2020. Como parte de uma nova etapa, todas as armas lançadas por via aérea do drone começarão a ser testadas para emprego em combate na área de testes do 929º Centro de Teste de Voos do Estado [do Ministério da Defesa] ", disse a fonte.

Antes do final deste ano, o Okhotnik realizará uma série de voos em Akhtubinsk sem usar armamento. Em alguns casos, o drone estará configurado "para decolar várias vezes dia e noite, sozinho e em conjunto com aviões de combate", acrescentou a fonte.

A TASS ainda não tem confirmação oficial dessas informações.

O drone de ataque pesado russo Okhotnik, desenvolvido pela Divisão de Projetos Sukhoi, realizou seu primeiro voo em 3 de agosto. O voo durou mais de 20 minutos sob o controle de um operador.

Em 27 de setembro, o Okhotnik realizou um voo junto com um caça Su-57 de quinta geração. O drone manobrou no ar no modo automatizado a uma altitude de cerca de 1.600 metros e seu voo durou mais de 30 minutos.


O Okhotnik possui tecnologia furtiva e projeto de asa voadora (não possui cauda) e tem um peso de decolagem de 20 toneladas. O drone tem um motor a jato e é capaz de desenvolver uma velocidade de cerca de 1.000 km/h.

Segundo os dados do Ministério da Defesa da Rússia, o drone possui revestimento anti-radar e é equipado com sistema eletro-óptico, radar e outros tipos de aparelhos de reconhecimento.

O modelo Okhotnik, controlado remotamente, foi apresentado na exposição internacional de defesa do Exército-2019 na região de Moscou, no final de junho.

Uma fonte da indústria de defesa doméstica disse anteriormente à TASS que o drone de ataque pesado furtivo Okhotnik realizaria vários outros voos de teste este ano.

"O programa dos testes do Okhotnik estipula vários outros voos com o aumento gradativo das missões de voo", especificou a fonte.

O drone executará um de seus voos de modo parcialmente autônomo: um operador no solo dará apenas vários comandos, disse a fonte. "Também está prevista uma possibilidade para o voo completamente autônomo do drone, sem a participação do operador quando ele decola, executa seu programa e pousa apenas sob o controle de seu próprio sistema de orientação".

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

16 OUT, 08:49 Tass

Postar um comentário

0 Comentários