Não se esqueçam de Stalingrado: Rússia manda recado para OTAN

Soldados dos EUA fazem treinamento com sapatos especiais para uso na neve, em treinamento chamado Luz do Ártico, em 2012 (foto de arquivo)

Diplomatas russos foram pegos de surpresa após a compra pela OTAN de 78.000 kits de camuflagem adaptados para combates no Ártico.

A aliança irá comprar "camuflagem de neve para operações no inverno", que inclui 78.000 conjuntos de calça, casacos e mochilas especiais. Os uniformes, conforme especificou o pedido, são capazes de aguentar temperaturas de até 40°C negativos, além de proteger os soldados contra "ventanias e avalanches de neve".

A encomenda, feita em forma de licitação, foi publicada originalmente em junho, mas não obteve resposta de fornecedores. Entre julho e setembro, empresas do Reino Unido, Eslováquia e Grécia ganharam a licitação, faturando contratos de cerca de R$ 322 milhões.

A Agência de Apoio e Aquisições, responsável pelas compras da aliança militar, não especificou onde tais operações a temperaturas abaixo de zero poderiam ocorrer.


A representação diplomática da Rússia na OTAN alertou a aliança, não sem uma certa dose de humor, que invadir o território russo durante o inverno pode não ser uma boa ideia. Os diplomatas russos também caçoaram do "planejamento militar totalmente defensivo".


​A OTAN fez uma licitação para adquirir camuflagem para neve (78.000 unidades) e uniformes de inverno (R$ 322 milhões) para operações militares a -40°C! Isso para provar o caráter totalmente defensivo do planejamento militar da OTAN? Talvez valha a pena licitar alguns livros de história, sobre a batalha de Stalingrado durante a Segunda Guerra Mundial.

O tweet dos diplomatas russos se refere à famosa batalha de Stalingrado. A vitória nesta batalha pelo Exército Vermelho contra os nazistas é considerada um marco da Segunda Guerra Mundial. O inverno rigoroso na Rússia, frequentemente chamado de “General Inverno”, foi decisivo para a derrota de Hitler nessa batalha.

Soldado durante treinamento na região de Murmansk, no Ártico.
Soldado durante treinamento na região de Murmansk, no Ártico. 

Olhos voltados para o Ártico

Apesar de ser improvável que a OTAN esteja planejando uma blitzkrieg na Rússia central, não é segredo para ninguém que a aliança tem interesse crescente nas regiões polares.

No centro da nova disputa geopolítica pelo Ártico está a Rota Marítima do Norte (NEP, na sigla em inglês), um corredor logístico que liga a China à Europa ao longo da costa norte da Rússia. A rota, ainda pouco utilizada, se tornará cada vez mais viável conforme o gelo da região vai derretendo.

Veículo militar participa de exercícios na zona do Ártico, na Rússia
Veículo militar participa de exercícios na zona do Ártico, na Rússia

Veículo militar participa de exercícios na zona do Ártico, na Rússia

Como esta rota marítima passa pela Zona Econômica Exclusiva (ZEE) da Rússia, Moscou considera-a parte de sua infraestrutura interna de transporte, enquanto os Estados Unidos e seus aliados gostariam que a rota fosse considerada internacional.

07:17 22.10.2019 (atualizado 07:44 22.10.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários