NASA solicitou assentos adicionais na nave russa Soyuz para 2020-2021



A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) dos EUA solicitou para a Roscosmos espaço adicional na sonda Soyuz para seus astronautas em 2020 e 2021. Isso foi anunciado pelo diretor geral da corporação estatal Dmitry Rogozin.

O chefe da NASA Brydenstein enviou uma carta a Roscosmos pedindo assentos adicionais na Soyuz russa para os anos 2020-2021 devido a atrasos no programa de construção de naves americanas para transportar astronautas à ISS. De acordo com Rogozin, isso viola os planos da Roscosmos para o conjunto de testes e experimentos a bordo da ISS; portanto, foi tomada uma decisão para alocar recursos para a construção de duas naves espaciais Soyuz adicionais.

Recebi (...) uma carta de Brydenstein na qual ele se refere a uma certa situação relacionada ao atraso de navios comerciais pela entrega de tripulações americanas à ISS. Os testes de navios comerciais americanos serão concluídos não antes de 2021 ano. Teremos que sacrificar algo, reduzindo nossa equipe para fornecer espaço para nossos colegas americanos - ele disse.

No início de outubro, o chefe da Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA), James Brydenstein, disse que os Estados Unidos não pretendem se recusar a cooperar com a Roscosmos para transportar astronautas à ISS, apesar do fato de que “você precisa pagar por cada lugar.”

Lembre-se que no âmbito do programa para a retomada dos voos tripulados dos Estados Unidos, novas naves espaciais tripuladas foram desenvolvidas: Crew Dragon pela SpaceX e Starliner pela Boeing. Após a realização de voos não tripulados e tripulados para a ISS, espera-se que eles sejam certificados pela NASA e utilizados para levar astronautas em órbita. Embora não se saiba qual nave será - Crew Dragon ou Starliner, a certeza virá apenas após os resultados dos voos de teste.

Anteriormente nos Estados Unidos, havia sido anunciado que o primeiro voo tripulado com astronautas estadunidenses em sua própria nave estava planejado para o ano de 2020.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

31.10.2019 15:13 Topwar

Postar um comentário

0 Comentários