Noruega defende não expulsar Turquia da OTAN por ofensiva na Síria

Militares do Exército Livre da Síria passando em veículos pela fronteira turco-síria após a Turquia ter lançado a operação militar Primavera da Paz no nordeste da Síria

A primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, afirma que é melhor ter a Turquia dentro da OTAN do que fora dela, apesar da oposição que membros do grupo têm contra a ofensiva militar de Ancara na Síria.

"É importante tê-los em nossa família e discutir. Acho mais fácil trabalhar com eles dessa maneira", disse Solberg em entrevista coletiva em Berlin, ao lado da chanceler alemã Angela Merkel. 

A premiê norueguesa também se alinhou a Merkel ao condenar fortemente as ações da Turquia e afirmar que a Noruega suspendeu as exportações de armas à Turquia, seguindo o exemplo da Alemanha, França e seus vizinhos escandinavos.

Reportagem divulgada pelo The New York Times afirma que os Estados Unidos estudam retirar as armas nucleares que mantêm na Turquia, o que sinalizaria uma fragilização ainda maior da relação entre Washington e Ancara.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, lançou em 9 de outubro uma ofensiva na Síria, batizada de Fonte de Paz. A operação ocorreu logo após o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciar a retirada das tropas dos EUA de suas bases na Síria. O objetivo declarado da Turquia é garantir sua segurança territorial frente ao que considera ameaças terroristas e estabelecer uma zona de segurança de 30 quilômetros nas proximidades de sua fronteira.

13:24 15.10.2019 (atualizado 17:42 15.10.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários