O caça mais rápido do mundo tem mais de 50 anos

O caça mais rápido do mundo tem mais de 50 anos

O jato mais rápido do mundo? Isso é fácil. A maioria das pessoas sabe que é o SR-71, um avião de reconhecimento tão rápido que podia superar os mísseis. Mas o caça mais rápido? Bem, os soviéticos criaram um caça para perseguir o SR-71 Blackbird, e era tão rápido que ainda é o caça mais rápido já construído. E ele ainda está em serviço até hoje.

O MiG-25 Foxbat parece desajeitado e quadrado ao lado dos caças de quarta e quinta geração. Seu irmão mais novo, o MiG-29, é muito mais elegante, e os agressivos F-35, F-22 e até o Su-57 dão pôsteres de parede melhores do que o Foxbat.

Em comparação, o Foxbat parece quase um caminhão furgão. Mas se você pretende ser generoso, pode compará-lo a algo como um velho Chrysler LeBaron.

Mas apenas se esse Chrysler Lebaron pudesse correr na pista a uma velocidade 60% maior do que seus rivais.


A história do Foxbat é bastante simples. Quando a Rússia descobriu o SR-71 pela primeira vez, percebeu que o passo para fazer um avião de reconhecimento capaz de voar três vezes a velocidade do som em um bombardeiro era grande, mas dificilmente intransponível. Eles tiveram que planejar que bombardeiros americanos poderiam superar os mísseis lançados do solo.

E assim eles começaram a trabalhar em um caça que pudesse se mover no limite do espaço junto com o SR-71 e o planejado XB-70 Valkyrie. Embora eles soubessem que era improvável que conseguissem criar um caça que pudesse voar mais rápido que um avião de reconhecimento, havia uma boa chance de que ele pudesse ultrapassar um bombardeiro, já que ele teria que carregar mais peso.


Avião de reconhecimento estratégico estadunidense SR-71A Blackbird.
Avião de reconhecimento estratégico estadunidense SR-71A Blackbird.

Na falta da ciência dos materiais para criar estruturas leves como as do SR-71, fizeram a melhor coisa possível: apenas os motores mais poderosos já criados, transportados em uma estrutura de liga de aço e níquel que quebrariam recordes de altura e velocidade. E os engenheiros do Departamento de Projetos Mikoyan e Gurevich (MiG é uma abreviação desse nome), estão entre os melhores projetistas de motores do mundo.

Eles criaram um projeto de turbojato duplo que poderia impulsionar o MiG-25 para Mach 2.8 em condições operacionais e 3.2 se os pilotos estivessem dispostos a arriscar os motores. O avião estabeleceu rapidamente para o caça recordes mundiais de velocidade, tempo de subida e altitudes máximas.

A versão de treinamento para dois lugares do MiG-25 sobrevoando uma área arborizada.
A versão de treinamento para dois lugares do MiG-25 sobrevoando uma área arborizada.

E isso assustou os EUA e o resto da OTAN. Não apenas o Foxbat era ridiculamente rápido e poderoso, mas seu projeto sugeria que era super manobrável, uma característica de projeto que o Ocidente estava desenvolvendo.

Mas dois eventos mudariam completamente os cálculos do Foxbat. O primeiro tornou-o um avião sem utilidade, e o outro tirou grande parte do medo dos pilotos que iriam enfrentá-lo.

Primeiro, um acidente catastrófico matou dois pilotos e destruiu a aeronave de teste XB-70 Valkyrie, de US$ 500 milhões, em um programa que já estava sofrendo problemas de custo. O programa foi cancelado. De repente, havia poucas perspectivas de um bombardeiro Mach 3 para o Foxbat perseguir, pois a missão mais importante para os planejadores soviéticos era impedir a superioridade aérea americana.

Estudos para um avião comercial supersônico salvaram o XB-70 da aposentadora precoce.
Estudos para um avião comercial supersônico salvaram o XB-70 da aposentadora precoce.

Mas então, um piloto soviético desertou para o Japão com seu MiG-25 em 1976, e a OTAN descobriu que o Foxbat era realmente horrível para a superioridade aérea.

Quando desmontaram, estudaram, remontaram e testaram o avião, os engenheiros americanos perceberam que ele quase sempre teria a vantagem de velocidade e altitude em relação aos aviões da OTAN, mas ele não poderia aproveitá-la. O Foxbat não tinha o sistema de radar LD/SD (olhar para baixo, atirar para baixo).


Sem entrar muito na seara técnica, a ciência de possuir um radar que pode ver à frente de um caça e embaixo dele sem se confundir com a interferência do terreno é realmente uma tarefa difícil, e os soviéticos ainda não haviam conseguido isso. Portanto, os pilotos do Foxbat eram forçados a descer para enfrentar outros caças.

E uma vez que estivesse em uma altitude relativamente uniforme com seus adversários, seria uma colheita relativamente fácil. Embora fosse inegavelmente rápido, na verdade ele não era super manobrável. Era improvável que um Foxbat pudesse desviar de mísseis ou vencer um dogfiht. Com algumas mudanças na doutrina, aviões como o F-4 Phantom poderiam por o Foxbat em fuga ou derrubá-lo.

Ainda assim, o Foxbat continua em serviço na Rússia pós-soviética e ainda é o caça que voa mais rápido e mais alto do mundo, carregando seu armamento completo tão alto que as lágrimas do piloto evaporam. Mas isso simplesmente não importa, porque não há nada lá em cima para o Foxbat enfrentar.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

18 de Outubro de 2019 às 05:58 EST We Are The Mighty

Postar um comentário

0 Comentários