Os tanques pesados mais temíveis do projetista soviético Dukhov

Tanque IS-3

Exatamente 115 anos atrás nasceu o construtor de tanques russo Nikolai Dukhov. Nos anos da 2ª Guerra Mundial foi ele o responsável pela criação dos veículos blindados mais poderosos do Exército Vermelho.

Em 26 de outubro de 1904, exatamente 115 anos atrás, nasceu o construtor de tanques pesados russo Nikolai Dukhov. Ele participou da criação de quase todos os tanques pesados da época da 2ª Guerra Mundial. A Sputnik preparou uma seleção das criações mais marcantes do engenheiro.

Nikolai Leonidovich Dukhov foi um projetista soviético de carros, tratores, tanques e armas nucleares
Nikolai Leonidovich Dukhov foi um projetista soviético de carros, tratores, tanques e armas nucleares

KV

Os tanques KV, ou Kliment Voroshilov, estiveram em produção de agosto de 1939 a agosto de 1942 e participaram da Guerra de Inverno, a guerra entre a União Soviética e a Finlândia de 1939 a 1940, assim como da 2ª Guerra Mundial. Durante a sua ofensiva, nos primeiros meses desta última, os alemães não sabiam como fazer frente a essas "fortalezas sobre lagartas". As munições dos canhões dos tanques e da artilharia antitanque da Alemanha não conseguiam perfurar de frente com sucesso o KV em distâncias médias e grandes.

Tanque KV-1 que participou da 2ª Guerra Mundial
Tanque KV-1 que participou da 2ª Guerra Mundial

Os alemães chamaram esse tanque de "fantasma", pois os projéteis dos canhões de calibre 37 milímetros não deixavam na sua blindagem nem sequer amolgadelas. Ao mesmo tempo, os canhões soviéticos destruíam facilmente as primeiras versões dos tanques alemães PzKpfw III e PzKpfw IV.

A única deficiência do KV eram suas avarias frequentes devido à novidade da construção e à pressa da implementação em produção. Os tanques KV e a sua modificação KV-1S ficaram desatualizados definitivamente com o surgimento no Exército alemão dos tanques pesados PzKpfw VI Ausf, conhecidos como Tigre.


KV-85

O tanque KV-85 foi desenvolvido em 1943 especificamente para lutar contra os Tigres. O veículo foi equipado com um canhão de 85 milímetros de calibre que depois foi adaptado para os tanques T-34-85.

Tanque KV-85, em 1 de setembro de 1975 (foto de arquivo)
Tanque KV-85, em 1 de setembro de 1975 (foto de arquivo)

Os testes mostraram que um disparo direto do canhão perfurava a blindagem do Tigre a uma distância de um quilômetro. A parte do chassi foi adotada da primeira modificação e a torre – do tanque pesado em desenvolvimento IS (Josef Stalin). O KV-85 esteve em produção só por três meses e no total foram construídos 148 veículos.

IS-1 e IS-2

O tanque pesado IS-1 é uma modernização profunda dos tanques pesados KV-1 e KV-1S. Com um peso menor, ele era superior aos anteriores em resistência da blindagem e velocidade. A arma principal era um canhão D-5T de 85 milímetros de calibre.

Apesar de o IS-1 se ter tornado o "pai" dos novos veículos blindados soviéticos, ele não foi fornecido em massa ao Exército. Foram construídas apenas uma centena de unidades. A maioria delas participou dos combates pela libertação de Ucrânia em 1944.

Tanque IS-2, em 9 de junho de 1944 (foto de arquivo)
Tanque IS-2, em 9 de junho de 1944 (foto de arquivo)

No entanto, faltava blindagem e poder de fogo, por isso as tropas começaram a receber os IS-2 com o canhão D-25T de 122 milímetros de calibre. Esse tanque já poderia combater os Tigre Real (Tigre-II) e superava em muito todos os veículos pesados dos países dos Aliados na Segunda Guerra Mundial. O IS-2 foi modernizado mais tarde. Esses tanques estiveram em serviço do Exército soviético e da Rússia até ao ano de 1995.


IS-3

O tanque IS-3 foi a continuação da "família" de tanques pesados. Seu desenvolvimento foi iniciado em 1944 e o veículo não participou das ações militares. No entanto, no dia 7 de setembro de 1945, 52 unidades participaram do desfile militar das tropas aliadas em Berlim, impressionando muito os parceiros ocidentais da União Soviética.

O tanque despertava na verdade o respeito de especialistas. Tinha blindagem poderosa, com ângulos otimizados de inclinação, resistia ao impacto dos canhões de tanque e antitanque mais poderosos da época.

Tanque pesado IS-3 com o canhão D-25T de 122 milímetros
Tanque pesado IS-3 com o canhão D-25T de 122 milímetros

A arma principal do IS-3 é o canhão D-25T de 122 milímetros. Os novos tanques participaram da supressão da revolta na Hungria no ano de 1956 e foram exportados intensivamente. A maior quantidade foi entregue ao Egito, onde participaram da Guerra dos Seis Dias de 1967. Por causa da fraca preparação, as tripulações não chegaram a obter grandes sucessos, mas atingiram vários veículos militares M48. A versão modernizada do IS-3M esteve em serviço na Rússia até aos anos de 1980.

11:26 26.10.2019 Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários