Cadê o míssil que estava aqui? Auditoria do Pentágono descobre erros na localização de seu arsenal nuclear

Lançamento de um míssil Minuteman III

O sistema de inventários da Força Aérea que registra a localização de seu arsenal, identificou erroneamente no ano passado a localização de 79 mísseis nucleares Minuteman III ativos - ou quase um quinto da frota - de acordo com uma auditoria encomendada pelo Pentágono.

A Ernst & Young LLP descobriu as discrepâncias durante a segunda rodada completa de auditorias financeiras da história do Pentágono para a Força Aérea e outros serviços militares, lançadas na sexta-feira. O vice-secretário de Defesa David Norquist pode ser questionado sobre o inventário problemático dos mísseis balísticos intercontinentais durante uma audiência na quarta-feira pelo Comitê de Serviços Armados do Senado na auditoria fiscal de 2019.

“Durante nossos testes em março, através de um sistema amplamente utilizado pela Força Aérea  para coletar e armazenar dados em aeronaves, satélites e sistemas de mísseis, a Ernst & Young disse que identificou uma série de erros, como 79 ICBMs com sua localização física marcadas incorretamente.”

O capitão Jacob Bailey, porta-voz da Força Aérea, disse em um e-mail que "a Força Aérea tem total controle e responsabilidade sobre os ICBMs".

Bailey disse que a Ernst & Young não descobriu uma "fraqueza material" mais séria, mas "uma deficiência nos relatórios oportunos de suprimento de estoque" que podem ocorrer quando os dados são inseridos manualmente e são corrigidos quando a reconciliação for concluída.

19 de novembro de 2019 18:48 BRT Bloomberg

Postar um comentário

0 Comentários