Polícia russa recebe novos fuzis de precisão de curto alcance

Fuzil de precisão silencioso VKS 12,7x55 mm

Arma pode perfurar todos os tipos de blindagens modernas e atingir alvos a uma distância relativamente curta: até 600 metros.

A polícia russa recebeu novos e poderosos fuzis de precisão silenciosos para disparar contra alvos a uma distância de até 600 metros.

A arma, que recebeu o codinome VKS, tem a configuração bullpup, onde o gatilho se encontra à frente do carregador de munição.

Essa configuração permite manter o mesmo comprimento de cano, importante para a precisão do disparo, nos fuzis compactos para uso em ambientes com pouco espaço.


O VKS foi projetado para disparar novos cartuchos pesados de calibre 12,7x55 mm.

"Ele é todo ergonômico. A polícia queria um fuzil de precisão compacto para eliminar terroristas que usam equipamentos de proteção mais modernos e sofisticados”, diz Iliá Sídorov, engenheiro da JSC A.G. Shipunov Design Bureau, escritório que desenvolveu a arma.

“Optamos pela munição subsônica mais poderosa, projetamos um fuzil curto e desenvolvemos um silenciador especial que extingue o flash de descarga”, disse.

O silenciador acabou sendo mais longo do que a própria arma. O VKS com silenciador atinge pouco mais de 112 cm de comprimento. O peso da arma é comparável ao de outros fuzis da classe: 6,5 quilos com o carregador vazio.

Fuzil de precisão silencioso VKS 12,7x55 mm
Fuzil de precisão silencioso VKS 12,7x55 mm

Segundo Sídorov, a principal vantagem da VKS sobre os concorrentes é a capacidade de atirar silenciosamente.

"Todas as outras balas de outros calibres que operam nessas distâncias são supersônicas, como a .308 Win da Otan. Isso significa que o atirador não pode disparar silenciosamente, e o flash do rifle revelará sua posição”, explica Sídorov.

Além disso, os novos cartuchos de calibre de 12,7x55 mm são tão pesados que, mesmo que o colete à prova de balas do inimigo conseguisse impedir a bala, a pessoa morreria de qualquer maneira devido ao impacto.


As novas balas têm um núcleo de tungstênio, o que as torna muito mais potentes do que as munições com núcleo de aço usadas hoje pelo exército.

“A arma permite eliminar o inimigo escondido atrás de uma parede de tijolos, perfurando até dois tijolos”, disse Sídorov.

A principal desvantagem dessa poderosa arma é a precisão operacional. A dispersão de balas a uma distância de 100 m é de 3,5 cm. Isso pode parecer insignificante, mas, durante um tiroteio, os segundos gastos em apontar a arma para o alvo a 600 metros de distância podem custar a vida.

31 DE OUTUBRO DE 2019 Russia Beyond

Postar um comentário

0 Comentários