Recorde no comércio exterior: moeda russa ganha terreno em relação ao dólar

Notas de dólar e rublo (imagem de arquivo)

Um relatório recente do Banco Central da Rússia indicou que o rublo e o euro estão ganhando cada vez mais terreno no câmbio monetário entre os principais parceiros comerciais.

Com mais de 3 bilhões de rublos, a China continua a liderar o uso da moeda russa, o rublo, no comércio com a Rússia em termos absolutos. Isto corresponde a um aumento de 7,5% para 8,5% dos pagamentos da Rússia à China e de 4,3% para 4,4% da China à Rússia.

A preferência dos dois países, até o momento, tem sido pela moeda europeia.

No primeiro trimestre de 2018, os chineses pagaram 87,7% dos bens e serviços russos em dólares e apenas 0,7% em euros, já no segundo trimestre de 2019 a proporção passou para 38,8% e 46,4%, respectivamente.

Estima-se que a Índia se livre do dólar, no seu comércio com a Rússia, ainda mais depressa do que todos os outros países. Em 2018, o rublo representou 38% dos pagamentos no comércio entre Moscou e Nova Deli, mas já nos primeiros seis meses de 2019 este valor subiu para 76,5%. O dólar caiu de 76,7% para 17,4%.

Devido a isso, os bancos indianos que pagam em dólares correm o risco de cair sob as sanções dos EUA nos termos da Lei de Contenção de Adversários da América Através de Sanções (CAATSA).


Desdolarização em curso

Nos últimos dois anos, a Turquia não só pagou à Rússia com mais frequência em rublos, como também esteve muito mais disposta a aceitar a moeda russa como pagamento pelas suas próprias exportações. No segundo trimestre de 2019, Ancara pagou em rublos 15,5% das importações da Rússia, contra 10,3% no ano anterior. Ao mesmo tempo, Moscou paga 36,2% das importações do país otomano em rublos.

Segundo as estatísticas do Serviço Federal da Alfândega russo, nos primeiros oito meses de 2019 o comércio mútuo atingiu US$ 17,6 bilhões (R$ 70 bilhões), o que é 2,3% mais do que no mesmo período de 2018.

Entretanto, um acordo intergovernamental, que prevê uma maior integração dos sistemas bancários russo e turco, foi assinado em setembro.

Setor energético

A maior parte do comércio entre a Rússia e a União Europeia faz-se no setor energético.

"Essa moeda [euro] já é usada na maioria dos contratos de exportação", disse o presidente da empresa petrolífera russa Novatek, Leonid Mikhelson, anunciando que o euro será a principal moeda operacional com clientes europeus.

O diretor da Rosneft, Igor Sechin, anunciou que a empresa completou a transferência para o euro em contratos de exportação "para minimizar os riscos de possíveis novas sanções dos EUA".

"A [petroleira russa] Rosneft vê um grande potencial para trabalhar com o euro", destacou Sechin, acrescentando que, "no futuro, o yuan chinês poderá tornar-se uma moeda global muito mais importante do que o dólar por causa do crescimento econômico da China".

10:04 03.11.2019 (atualizado 06:12 04.11.2019) Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários