Supostamente morto pelos EUA, ex-líder do Daesh é 'uma criação dos EUA', diz Lavrov

Líder do Daesh, Abu Bakr al-Baghdadi, em 29 de abril de 2019

Abu Bakr al-Baghdadi, ex-líder e fundador do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e outros países), foi "uma criação dos Estados Unidos", declarou o Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Al-Baghdadi "é, ou já foi, uma criação dos Estados Unidos", pontuou Lavrov em entrevista à rede russa Rossiya 24.

O ministro russo disse que "o Daesh surgiu após a invasão ilegal do Iraque, o colapso do Estado iraquiano".

    "Portanto, até certo ponto, os americanos eliminaram quem eles mesmos haviam criado", prosseguiu o chanceler russo.

Ao mesmo tempo, Lavrov ressaltou que os militares russos ainda não confirmam o anúncio da eliminação de Al-Baghdadi pelos Estados Unidos e lembrou que o terrorista "foi declarado morto em diversas ocasiões". Se a informação for confirmada, ele disse, será um "desenvolvimento positivo".


O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou em 27 de outubro a morte de Al-Baghdadi como resultado de uma operação especial das forças americanas no noroeste da Síria.

Mais tarde, o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, informou que a Rússia não tem informações verdadeiras sobre a operação das Forças Armadas dos EUA ou sobre "a morte do dia" de Al-Baghdadi.

Na quinta-feira passada, o Daesh confirmou a morte de Al-Baghdadi e anunciou seu novo líder.

Al-Baghdadi, nome verdadeiro Ibrahim Awwad Ibrahim al-Badri, é conhecido como líder terrorista desde 2014, quando proclamou de uma mesquita na cidade iraquiana de Mossul, tomada pelo Daesh, a criação do "califado islâmico" no Oriente Médio.

Desde então, em mais de uma ocasião, foram publicadas informações sobre sua morte, que posteriormente foram negadas.

00:22 02.11.2019 Sputnik

Postar um comentário

0 Comentários