Os bombardeiros Tu-160 da Rússia X B-1 dos EUA: quem vence?

29 de março de 2016 The National Interest

O bombardeiro Tu-160 da Rússia X o B-1 dos EUA: quem vence?

O bombardeiro estratégico Rockwell International B-1B Lancer e o russo Tu-160 Blackjack parecem visualmente semelhantes e até compartilham alguma sobreposição em seus conjuntos de missões, no entanto, as duas aeronaves são bem diferentes.

O B-1A foi originalmente projetado como um penetrador supersônico de grande altitude antes que o governo Carter cancelasse o programa em 1977, depois que ficou claro que o novo bombardeiro não seria capaz de sobreviver contra as novas defesas aéreas soviéticas. Em vez disso, a Administração Carter enfatizou mísseis balísticos e autorizou o desenvolvimento do que acabaria se tornando o bombardeiro furtivo Northrop Grumman B-2A Spirit. No entanto, o desenvolvimento do bombardeiro furtivo não foi tornado público e permaneceria classificado nos anos seguintes.


O presidente Ronald Reagan ressuscitou o bombardeiro supersônico como o B-1B. Em vez de penetrar em grande altitude, o novo B-1B seria otimizado para penetração em baixa altitude usando uma combinação de velocidade, mascaramento do terreno e seção transversal do radar reduzida. No entanto, a desvantagem foi que o B-1B como resultado sacrificou o desempenho em grande altitude e alta velocidade. Enquanto o B-1A tinha uma velocidade máxima acima de Mach 2.0, o B-1B mal consegue atingir Mach 1.25 como resultado de várias mudanças estruturais e entradas de ar de geometria fixas.

Após o final da Guerra Fria, o B-1B foi desnuclearizado e reorientado para o papel convencional, com todo o equipamento  nuclear do jato sendo removido em 1995. No lugar da capacidade nuclear, o bombardeiro recebeu um novo papel convencional, começando com o Conventional Mission Upgrade Program. Como parte do esforço, o bombardeiro foi equipado com uma capacidade aprimorada de radar de abertura sintética e a capacidade de transportar bombas guiadas de precisão. Nos anos seguintes, a partir de 11 de setembro de 2001, o bombardeiro foi atualizado com novos sensores, como o casulo de mira Sniper XR e links de dados, para permitir um jato mais eficiente nas missões de guerra de contra-insurgência dos EUA no Iraque e no Afeganistão.


O B-1B não é mais capaz de brigar dentro do espaço aéreo fortemente defendido, mas a aeronave ainda terá um papel na guerra de alta tecnologia como transportadora de mísseis de cruzeiro - usando armas como o JASSM-ER e o LRASM. Ironicamente, isso significa que, durante uma briga de alto nível, terá um papel semelhante ao Tu-160 russo.



O Tu-160 - embora parecido com o B-1B - é uma aeronave muito diferente. A União Soviética projetou o Blackjack principalmente como um meio de realizar um ataque nuclear durante a Terceira Guerra Mundial. No entanto, os soviéticos projetaram o jato principalmente como um meio de fornecer mísseis de cruzeiro com ogiva nuclear - embora a aeronave tenha a capacidade de penetrar em níveis baixos. Como tal, o Tu-160 é muito maior e muito mais rápido que o B-1B - com um peso máximo de decolagem acima de 275 toneladas e velocidade máxima superior a Mach 2.05. Por outro lado, o B-1B pesa 216 toneladas.

O armamento primário do Tu-160 sempre foi o míssil de cruzeiro de longo alcance, como o Kh-55MS - do qual pode transportar uma dúzia. Nos últimos meses, no entanto, os russos usaram a versão convencional Kh-555 do míssil de cruzeiro contra alvos na Síria ao lado de mísseis de cruzeiro Kh-101 muito mais avançados e furtivos. A aeronave também carrega o Kh-102 com ogiva nuclear.


Num futuro próximo, os russos esperam reiniciar a produção da versão muito melhorada Tu-160M2 do Blackjack. Os novos jatos substituirão os já existentes Tu-22M da Rússia e os bombardeiros Tu-95 Bear, complementando a frota Tu-160 existente. A vontade aprimorada da aeronave é um paliativo até a Rússia concluir o desenvolvimento do novo bombardeiro furtivo PAK-DA.

Então, de fato, não é uma questão se o B-1B ou o Tu-160 são melhores - são aviões diferentes com papéis e missões diferentes.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários