Um C-17 da USAF transfere 500.000 swabs da Itália para os EUA e ativa gabinete de crise

18 de março de 2020 FlightGlobal

C-17 que voou da Itália para os EUA com 500.000 swabs

Como parte do esforço crescente para apoiar a resposta do governo dos EUA ao coronavírus, a Força Aérea dos EUA (USAF) transportou 500.000 swabs (cotonetes para colheita de amostras) a bordo do C-17 Globemaster III de uma base aérea na Itália para os EUA.


O Comando de Mobilidade Aérea da USAF também ativou recentemente uma Equipe de Planejamento de Operações e Equipe de Batalha de Crise 24/7 para avaliar e planejar os impactos do coronavírus na missão regular do comando, bem como sua capacidade de ajudar na resposta logística à pandemia.


A USAF não respondeu a uma pergunta sobre a fonte dos swabs. A notícia foi relatada pela primeira vez pela Defense One.

“Em 17 de março, o [Comando de Mobilidade Aérea] transportou uma remessa de 13 paletes de material de teste Covid-19 a bordo de um C-17 Globemaster III da Base Aérea de Aviano, na Itália, para a Base da Guarda Nacional Aérea de Memphis, onde a 164ª Asa Aérea 17 está designado”, diz a USAF. “O Comando da Mobilidade Aérea está apoiado em pedidos adicionais para entrega de suprimentos de teste Covid-19 nas próximas semanas.”

C-17 voando da Itália para os EUA com 500.000 swabs
C-17 voando da Itália para os EUA com 500.000 swabs

Após sua chegada a Memphis, os swabs foram carregados nas aeronaves da FedEx para distribuição nos EUA, acrescenta a aeronáutica.

São necessários swabs para retirar amostras do nariz e da garganta de potenciais portadores de coronavírus. Nos últimos dias, à medida que os testes para o vírus aumentaram, os hospitais relataram escassez de swabs.


O Comando de Transporte dos Estados Unidos, um comando conjunto das Forças Armadas dos EUA, está em coordenação com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) para lidar com quaisquer outras solicitações futuras de movimentos rápidos de carga aérea, diz o general David Goldfein, chefe de gabinete do Exército. USAF, em uma conferência de imprensa do Pentágono em 18 de março.

“O vice-presidente [dos chefes do Estado-Maior Conjunto] e o vice-secretário [da defesa] estão liderando os esforços do Departamento de Defesa”, diz ele. “Eles se conectam à Força-Tarefa do Vice-Presidente e temos um elemento que, com o HHS, ajuda a encontrar os requisitos e depois comunicá-los ao Departamento de Defesa.”

A USAF pode transportar pacientes em macas em várias aeronaves, incluindo o transporte de carga Lockheed Martin C-130, o transportador de reabastecimento em voo Boeing KC-135 e o Boeing C-17.

O número de pessoas que podem ser transportadas em uma aeronave depende da gravidade da doença do paciente.


“Tudo depende da situação e da criticidade do paciente. Se eles são menos críticos, posso me mover mais de uma vez. Se eles são mais críticos, posso me mover menos”, diz a tenente-general Dorothy Hogg, cirurgiã geral da USAF.

Aeronaves equipadas com unidades de isolamento podem transportar menos de 10 pacientes ao mesmo tempo, acrescenta Goldfein. Ele se recusa a dizer a capacidade geral da USAF, citando preocupações de segurança nacional com operações militares em andamento.

No entanto, a capacidade da aeronáutica não corre o risco de ser sobrecarregada imediatamente.

“No momento, não estamos vendo nenhuma limitação em nossa capacidade de atender a esses requisitos de movimento, especialmente quando falamos de pequenos kits de teste onde podemos colocar vários números em um avião grande”, diz Goldfein.

C-17 que voou da Itália para os EUA com 500.000 swabs
C-17 que voou da Itália para os EUA com 500.000 swabs

Como as evacuações aeromédicas da USAF são destinadas a vítimas de guerra, a aeronáutica pensa que provavelmente não irá receber pacientes com coronavírus. Em vez disso, irá concentrar-se em aliviar os cuidados de trauma dos hospitais, como no tratamento de ferimentos a bala.

A USAF está analisando todas as suas opções, diz Goldfein.


“O secretário [da defesa Mark] Esper perguntou a todos nós, em capacidade de asa fixa e de asa rotativa, o que poderíamos trazer?” ele diz. Temos essa análise em andamento.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.


Postar um comentário

0 Comentários