Fogo! O tanque russo Armata já foi testado na Síria

23 de abril de 2020 The National Interest

Fogo! O tanque russo T-14 já foi testado na Síria

O T-14 Armata é o tanque mais avançado da Rússia. E já pode ter alguma experiência em combate no seu currículo.


Em declarações a uma estação de televisão russa no domingo, o ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Denis Manturov, disse que o mais novo e possivelmente mais eficiente tanque de todos os tempos da Rússia passou por testes de campo na Síria. "Sim está certo. Eles [os tanques Armata] foram usados ​​na Síria", declarou ao canal de televisão russo Rossiya-1. "Eles foram usados ​​em condições de campo, na Síria, então levamos em consideração todas as nuances", relatou a Tass.

Esta seria a primeira vez da plataforma, que apesar de alguns contratempos iniciais, é, pelo menos no papel, talvez um dos tanques mais eficientes no arsenal de qualquer país. Foi exibido pela primeira vez ao público em 9 de maio de 2015, durante o desfile anual russo na Praça Vermelha, que comemora a vitória da União Soviética sobre a Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial.


A Tass também relatou que o T-14 finalmente entraria em produção em série em algum momento de 2021. "Ele [o tanque T-14 Armata] é caro porque ainda está passando por testes adicionais e modernização depois que o Ministério da Defesa solicitou soluções técnicas adicionais para iniciar a produção em série a partir do próximo ano nos termos do contrato existente", afirmou Manturov.

A plataforma T-14 já sofreu atrasos anteriores. O fabricante russo do T-14, a Uralvagonzavod, já havia indicado 2020 como a data de entrada em série da produção do T-14, então parece que essa data foi adiada.



Ótimo, se funcionar


Como expliquei anteriormente , o T-14 é notável por sua blindagem (sistemas ativo e passivo) e seu sistema de propulsão. Caso os relatórios sejam confiáveis, o T-14 pode muito bem ser um dos tanques mais ágeis que existem.

Em situações extremas, o tanque pode "impulsionar" seu motor de 1.500 cavalos de potência para uma potência inédita de 2.000 cavalos de potência, embora isso tenha um preço. A longevidade do motor diminui significativamente após a operação de "reforço".



Importação/exportação


Às vezes, plataformas tecnologicamente cruciais como o F-22 Raptor ou o tanque M60A2 são proibidos de serem vendidos ao exterior. Aparentemente não é assim com o T-14.

Em um movimento um tanto surpreendente, Manturov anunciou que vários compradores estrangeiros manifestaram interesse em adquirir a plataforma T-14. "No próximo ano, quando o fornecimento em série desses tanques para o Ministério da Defesa for lançado e um certificado de exportação for obtido, começaremos a trabalhar com clientes estrangeiros", disse ele, apesar de ter sido bastante evasivo ao encerrar sua declaração. "Preliminarmente, tendo em mente que não podemos fornecer toda a documentação para nossos clientes estrangeiros, bem, já temos pedidos iniciais."


Bem, veremos sobre isso.


Ainda restam dúvidas sobre o que os T-14 na Síria estavam realmente fazendo. É possível que os T-14 na Síria não tenham feito nada além de juntar poeira - mas é difícil dizer definitivamente. Talvez mais informações venham à tona no futuro.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários