O MiG-35 pode ser uma péssima notícia para os principais caças furtivos dos EUA

2 de abril de 2020 The National Interest

O MiG-35 pode ser uma péssima notícia para os principais caças furtivos dos EUA

Com o MiG-29 chegando ao fim de sua vida útil como caça multifunção básico da Rússia, as Forças Aeroespaciais Russas (VKS) estão cada vez mais interessadas em seu sucessor: o MiG-35.


Durante anos, seu fabricante comercializou o MiG-35 como um caça “4 ++”: “Eu diria que este é um novo avião que supera nossos concorrentes estrangeiros. Em outras palavras, este é um avião de nível 4 ++ ”, afirmou Ilya Tarasenko, diretora geral da Mikoyan, em uma entrevista recente.

O presidente russo Vladimir Putin ecoou esse sentimento em uma conferência no Kremlin: “Observo que o novo caça multiuso MiG-35 aprimorou as características técnicas e de voo e está equipado com os mais recentes sistemas de armas. Você sabe disso melhor do que eu. Ele pode seguir de 10 a 30 alvos ao mesmo tempo e operar sobre terra ou mar. Esta é uma aeronave genuinamente única e promissora, 4 ++, você poderia dizer, muito perto de ser da quinta geração. ”


Mas o que exatamente “4 ++” significa e o MiG-35 está realmente no nível de ser considerado um caça de quinta geração?

Um documentário recente do T24, um canal de televisão russo financiado pelo Estado, lança luz sobre as capacidades do MiG-35, oferecendo muitas imagens de alta resolução do avião em ação.

O documentário envolve uma série de entrevistas com executivos da Mikoyan, engenheiros aeroespaciais, oficiais da VKS e pilotos de teste. A equipe do T24 conseguiu uma visita ao 929º Centro Nacional Chkalov de Teste de Voos, em Akhtubinsk, onde se maravilha com a atenção minuciosa aos detalhes e ao grau de trabalho humano necessário para fabricar uma aeronave de nível militar.

O MiG-35 é compatível com toda a gama de bombas guiadas a laser KAB-500, TV e GLONASS, o que deve permitir que ele lide com algumas das operações de combate de alta intensidade que seriam excessivas para o seu antecessor.
O MiG-35 é compatível com toda a gama de bombas guiadas a laser KAB-500, TV e GLONASS, o que deve permitir que ele lide com algumas das operações de combate de alta intensidade que seriam excessivas para o seu antecessor.

Grande parte do vídeo é uma repetição de informações conhecidas mais antigas, incluindo o radar Zhuk-AE do MiG-35 e a capacidade de pousar em circunstâncias extremas. No entanto, oferece uma visão rara do que os próprios pilotos de teste - ao contrário de analistas de defesa ou executivos do setor - têm a dizer sobre o avião. Eles parecem particularmente empolgados com suas capacidades ofensivas aprimoradas, observando que os nove cabides do MiG-35 permitem configurações de armamento que superam o Mig-29 em poder de fogo total.

O MiG-35 é compatível com toda a gama de bombas guiadas a laser KAB-500, TV e GLONASS, o que deve permitir que ele lide com algumas das operações de combate de alta intensidade que seriam excessivas para o seu antecessor. O KAB-500 pode esclarecer a confusão anterior sobre a afirmação de Yuriy Slysar, chefe do UAC, que o MiG-35 ostentaria “armas a laser”; ele provavelmente estava se referindo ao KAB-500 Laser, e não a armas de raio laser reais.


Essas atualizações inevitavelmente ocorrerão às custas da capacidade de manobra, o que não é surpreendente, dada a direção do projeto do fabricante nas últimas décadas. Com todas as variantes, a Mikoyan trabalhou para mudar o nome do MiG-29 de caça de superioridade aérea para a função que se destaca na capacidade de ataque ao solo.

Enquanto “4 ++” significa pouco em sentido absoluto, não é difícil entender por que a Mikoyan insiste em caracterizar o MiG-35 dessa maneira. Eles querem apresentá-lo como não apenas uma iteração, mas um enorme salto técnico alcançado sobre o MiG-29. Parece razoável o suficiente para fazer uma rígida distinção entre caças separados por mais de quarenta anos. No entanto, essa narrativa de uma melhoria exponencial é um pouco complicada pela multiplicidade de variantes do MiG-29 lançadas nas décadas anteriores. Por exemplo, muitas das melhorias de durabilidade da estrutura e do trem de pouso do MiG-35 podem ser rastreadas diretamente para o recente MiG-29K, baseado em porta-aviões.

Dadas as consideráveis ​​melhorias herdadas de variantes anteriores, é difícil ver como o MiG-35 revolucionará o arsenal de aeronaves da Rússia. No entanto, está moldando o ponto culminante de décadas de experiência em engenharia aeroespacial russa e o caça multifuncional mais capaz da Rússia até hoje.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários