Zhukov x Konev: como os dois generais do Exército Vermelho tomaram Berlim

27 de abril de 2020 The National Interest

Zhukov x Konev: como os dois generais do Exército Vermelho tomaram Berlim

Esses dois generais queriam ser os primeiros a colocar o prego final no caixão do império de Hitler. Foi assim que eles competiram, uma corrida veloz para esmagar a Alemanha nazista e receber toda a glória.


Sob ordens do primeiro-ministro soviético Josef Stalin, a ofensiva que resultou na captura da capital nazista em Berlim em abril de 1945, tornou-se uma corrida entre grupos de exércitos de dois comandantes soviéticos, o marechal Georgy Zhukov e o marechal Ivan Konev. A corrida foi acirrada, e muitas vezes as vidas dos soldados eras sacrificadas para ganhar tempo.


Stalin lembrou-se da implacável invasão alemã da União Soviética em 22 de junho de 1941, que quebrou o pacto de não-agressão entre os dois países que haviam sido assinado em 1939. Ele também buscou uma severa compensação pelas mortes de milhões de cidadãos soviéticos e a tremenda destruição de propriedades que havia ocorrido.

Zhukov, de 48 anos, já havia sido reconhecido como Herói da União Soviética, o maior prêmio militar de seu país.
Zhukov, de 48 anos, já havia sido reconhecido como Herói da União Soviética, o maior prêmio militar de seu país.

Zhukov se prepara para tomar Berlim…


A tarefa de tomar Berlim foi dada à 1ª Frente Bielorrussa de Zhukov e à 1ª Frente Ucraniana de Konev, com apoio de pelo menos três outras frentes, ou grupos de exército. Zhukov, de 48 anos, já havia sido reconhecido como Herói da União Soviética, o maior prêmio militar de seu país. Nascido em uma família de camponeses, Zhukov alcançou os altos níveis de comando depois de servir na Primeira Guerra Mundial e na Guerra Civil Russa. As forças sob seu comando derrotaram completamente os japoneses em Khalkhin Gol em 1938-39, encerrando a ameaça de expansão do país na esfera soviética no Oriente. Durante a Grande Guerra Patriótica, como a Segunda Guerra Mundial é chamada na União Soviética, ele foi fundamental em muitas das principais vitórias conquistadas pelo Exército Vermelho na Frente Oriental.


Konev também era de origem camponesa. Ele serviu como recruta no Exército Imperial Russo durante a Primeira Guerra Mundial e no Exército Vermelho durante a Guerra Civil Russa. Durante a Segunda Guerra Mundial, suas tropas ajudaram a impedir a iniciativa alemã de capturar Moscou no inverno de 1941. Herói da União Soviética, ele liderou forças na principal batalha de Kursk e através de operações ofensivas no outono de 1944.

Konev também era de origem camponesa. Ele serviu como recruta no Exército Imperial Russo durante a Primeira Guerra Mundial e no Exército Vermelho durante a Guerra Civil Russa.
Konev também era de origem camponesa. Ele serviu como recruta no Exército Imperial Russo durante a Primeira Guerra Mundial e no Exército Vermelho durante a Guerra Civil Russa. 


Fogo amigo dentro da cidade?


A ofensiva decisiva contra Berlim começou no oeste da Polônia em janeiro de 1945. Zhukov e Konev cruzaram o rio Oder e iniciaram um movimento gigante de pinças para subjugar a resistência alemã. Durante os combates na Batalha de Seelow, Zhukov enviou ondas de soldados e tanques do Exército Vermelho contra posições alemãs e suportou baixas terríveis durante quatro dias de combates antes de abrir caminho para Berlim. Enquanto isso, a 1ª Frente Ucraniana de Konev limpou a Floresta Spree, capturando um grande número de prisioneiros alemães. Zhukov entrou em Berlim pelo norte, enquanto Konev combateu pelas ruas da cidade pelo sul. Em 23 de abril de 1945, os dois exércitos se uniram na capital alemã.

Foi relatado que, no processo de subjugar Berlim, as duas frentes soviéticas dispararam intencionalmente uma contra a outra. Por quê? Talvez esses dois marechais tivessem plena consciência de que o fracasso não seria tolerado. O comandante que ficasse para trás do rival poderia muito bem enfrentar a ira de Stalin. Na luta por Berlim, os soviéticos sofreram baixas de 80.000 mortos e feridos juntamente com 2.000 tanques, enquanto os alemães sofreram cerca de 150.000 baixas.


Zhukov é geralmente creditado com a captura final da capital nazista, enquanto Konev foi desviado para o sudoeste e ligado a forças estadunidenses perto da cidade de Torgau, no rio Elba. Ambos os homens foram elogiados por sua liderança. No entanto, em poucos meses, Stalin começou a perceber a popularidade de Zhukov como uma ameaça, e ele foi demitido de seu posto como comandante da Zona Soviética de Ocupação na Alemanha.

O monumento ao Marechal da União Soviética Georgy Zhukov em frente ao Museu de História perto da Praça Vermelha.
O monumento ao Marechal da União Soviética Georgy Zhukov em frente ao Museu de História perto da Praça Vermelha.

Depois da guerra


Após a morte de Stalin, Zhukov retornou ao governo como ministro da Defesa sob a presidência de Nikita Krushchev. Desacordos políticos levaram à sua aposentadoria. Ele morreu em 1974 aos 77 anos.

Após a Segunda Guerra Mundial, Konev comandou as forças soviéticas na Alemanha Oriental, liderou as forças armadas do Pacto de Varsóvia e suprimiu a revolta húngara de 1956. Ele se aposentou do serviço ativo em 1962 e morreu em 1973 aos 75 anos de idade.


Ambos os comandantes foram ousados, engenhosos e cruéis durante a Grande Guerra Patriótica, sem dúvida estimulados pela consciência de que o fracasso provavelmente significaria sua própria morte.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários