10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim


06 DE MAIO DE 2020 Russia Beyond

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

Que países ajudaram a invadir a capital do Terceiro Reich junto com as tropas soviéticas, e como a operação terrestre para capturar Berlim envolveu até mesmo a Marinha da URSS?


1. A Batalha de Berlim, que durou de meados de abril a início de maio de 1945, deveria ter começado no início de fevereiro. Após a ofensiva de Vístula-Oder, as tropas soviéticas estavam a apenas 70 km da capital alemã. A 1ª Frente Bielorrussa, sob o comando do marechal Gueórgui Jukov, estava pronta para empreender um ataque decisivo a Berlim. Porém, a iniciativa foi contida pelos ataques do inimigo contra a 1ª Frente Ucraniana e a 2ª Bielorrussa, bem como a transferência de tropas alemãs da Curlândia para a Pomerânia. Por isso, Jukov recebeu ordens de ajudar as frentes vizinhas, e a operação de Berlim acabou sendo adiada até a primavera.


10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

2. Antes do ataque decisivo a Berlim, surgiu a questão de quem o realizaria: a 1ª Frente Bielorrussa de Jukov ou 1ª Frente Ucraniana sob o comando de Ivan Konev. Stálin tinha implicitamente dado permissão para conduzir “uma espécie de competição” entre os dois marechais. Konev ficou tão empolgado que seus exércitos romperam as linhas de demarcação entre as duas frentes, causando turbulência na retaguarda das tropas de Jukov. No final, foi decidido que o centro da cidade seria capturado por soldados da 1ª Frente Bielorrussa, com o apoio da 1ª Frente Ucraniana.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

3. O Exército Vermelho não foi o único a participar da Batalha de Berlim. Foi apoiado pelo 1º Exército Polonês, de 200.000 soldados, que contava com cerca de 10% de todas as tropas juntas. Os aliados, equipados com armas soviéticas, eram subordinados ao governo provisório comunista da República da Polônia e lutavam sob sua própria bandeira e com uniformes nacionais. Eles são mais lembrados pelos combates perto do parque Tiergarten, quando soldados da 1ª Divisão de Infantaria Tadeusz Kościuszko deram apoio ao 2º Exército de Tanques da Guarda Soviético, que estava então sem cobertura de sua própria infantaria.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

4. No início da Batalha de Berlim, a Alemanha já havia perdido todos os seus aliados. No entanto, milhares de estrangeiros continuaram a lutar. Entre outros, havia um batalhão da 1ª Divisão Letã da SS, dinamarqueses, suecos, noruegueses e holandeses da Divisão Panzergrenadier de Voluntários SS Nordland, além de franceses da 33ª Divisão Waffen Granadeiro da SS Charlemagne. A capital do Terceiro Reich também era defendida por centenas de espanhóis, que, após a retirada da Divisão Azul da Frente Oriental em 1943, decidiram ficar e continuar a luta contra a União Soviética.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

5. Para o obus soviético de 203 mm B-4, que os alemães apelidaram de “marreta de Stálin”, nada era impossível. Destruía facilmente as casamatas fortificadas da Linha Mannerheim e podia transformar um edifício de vários andares em ruínas em menos de uma hora. No entanto, foi em Berlim que a arma soviética se deparou com um oponente impenetrável. O adversário era a chamada Torre Flak, uma “torre antiaérea” situada perto do zoológico de Berlim. Apesar do longo e persistente bombardeio, somente um canto daquele prédio maciço foi danificado, e sua guarnição se rendeu apenas quando as lutas no resto da cidade chegaram ao fim.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

6. O Reichstag não foi capturado na primeira tentativa. Um ataque em 29 de abril fracassou, e o prédio foi tomado somente na noite de 30 de abril. No dia seguinte, quando bandeiras soviéticas já estavam fincadas sobre símbolo do Terceiro Reich, cerca de 1.500 alemães tentaram sair do porão do edifício para rua, mas sem sucesso.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

7. Os americanos também participaram, de certa forma, da Batalha de Berlim, com seus tanques médios M4A2 Sherman que haviam sido fornecidos à União Soviética pelos EUA sob o programa Lend-Lease. Cabe lembrar que somente o 2º Exército de Tanques da Guarda perdeu 209 desses tanques na batalha pela cidade.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

8. Embora Berlim esteja situada bem longe do mar Báltico, até a Marinha da URSS participou ativamente da batalha pela cidade. Entre 23 e 25 de abril, sob fogo inimigo, pequenos barcos da Flotilha Dnieper transportaram mais de 16.000 soldados e 100 itens de artilharia através do rio Spree para a área de combate.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

9. Berlim foi a única capital da Europa Ocidental a ter sido capturada pelo Exército russo três vezes. A primeira vez foi em 1760, durante a Guerra dos Sete Anos, e a segunda, durante a Guerra da Sexta Coligação contra a França Napoleônica, em 1813.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

10. Paradoxalmente, enquanto o Exército Vermelho invadia a capital do Terceiro Reich, parte do território da União Soviética ainda era ocupada pelos alemães. Até 250.000 soldados nazistas estavam cercados no chamado Bolso da Curlândia, no oeste da Letônia, que ficou conhecido como “um campo de prisioneiros de guerra armados”. O grupo capitulou em 10 de maio, no entanto, milhares de colaboradores locais, juntamente com um certo número de alemães, não depuseram as armas e começaram um conflito armado nas florestas locais contra os soldados soviéticos.

10 fatos pouco conhecidos sobre a Batalha de Berlim

Postar um comentário

0 Comentários