Burevestnik: um novo tipo de destruidor de satélites pode estar surgindo na Rússia

29 de abril de 2020 The National Interest



A Rússia parece estar trabalhando em um novo tipo de arma anti-satélite. Uma que combina minúsculos satélites armados, um pequeno foguete e um interceptor MiG-31, agindo como primeiro estágio do sistema.


Essa é a avaliação surpreendente de Bart Hendrickx, descrito pela revista The Space Review como um "estudioso de longa data do programa espacial russo."

Hendrickx, no final de abril de 2020, escreveu uma longa análise na The Space Review , reunindo evidências fragmentadas, incluindo fotografias, contratos governamentais e atividades de teste.


Sua conclusão é que a Rússia está desenvolvendo um sistema anti-satélite com o nome de projeto Burevestnik. Diferentemente da maioria dos outros sistemas ASAT, Burevestnik não depende de uma ogiva explosiva ou de energia cinética para destruir seu alvo orbital.

Em vez disso, a arma lança micro-satélites caçadores que manobrariam em direção a seus alvos em órbita baixa da Terra e os desativariam.

A evidência de Hendrickx é convincente. Começa com uma foto que circulou em setembro de 2018. “Um fotógrafo de aeronaves notou algo interessante ao observar a atividade no Instituto de Pesquisa de Voo Gromov em Zhukovsky, perto de Moscou”, escreveu Hendrickx.

A Rússia está desenvolvendo um sistema anti-satélite com o nome de projeto Burevestnik.
A Rússia está desenvolvendo um sistema anti-satélite com o nome de projeto Burevestnik.

“O que chamou sua atenção foi um caça MiG-31BM com um grande míssil preto suspenso sob a barriga. Embora essa aeronave específica já tivesse sido vista antes, o foguete era novo. As fotos que ele postou na internet confundiram os observadores: parecia grande demais para ser um míssil ar-ar ou ar-superfície. Parecia ter o tamanho certo para uma arma anti-satélite.”

Hendrickx vasculhou os registros de código aberto para rastrear os vários esforços de desenvolvimento que poderiam contribuir para uma nova arma ASAT. “Eles mostraram que o projeto começou em 1º de setembro de 2011, com um contrato do governo concedido ao Design Bureau of Machine Building, um fabricante de armas com sede em Kolomna (cerca de 100 quilômetros a sudeste de Moscou) que parece ser o coordenador geral do projeto.”


Uma apresentação em PowerPoint de maio de 2019 do PAO Saturn, um fabricante russo de painéis solares e baterias, identificou dois satélites diferentes que poderiam fazer parte do esforço mais amplo de Burevestnik. Presumivelmente, os satélites são potenciais cargas úteis para o foguete que apareceu no MiG-31 no ano anterior.

Talvez o mais convincente, desde 2013 a Rússia esteja realizando testes em órbita dos chamados "satélites de inspeção" que podem manobrar ostensivamente perto de outras naves espaciais, para inspecioná-las quanto a danos. Sem grandes modificações, os satélites de inspeção poderiam funcionar como armas para desativar naves inimigas em vez de inspecionar as amigas.

A análise de fontes russas online acessíveis ao público agora deixa poucas dúvidas de que o MiG-31BM e o foguete fazem parte de um projeto ASAT mais amplo, concluiu Hendrickx.

O PL-19 Nudol (A-235) é uma arma chamada "anti-satélite de ascensão direta".
O PL-19 Nudol (A-235) é uma arma chamada "anti-satélite de ascensão direta".

O Burevestnik não é o único sistema anti-satélite da Rússia. A Rússia, em 15 de abril de 2020, testou um foguete anti-satélite convencional em 15 de abril de 2020, anunciou o Comando Espacial dos EUA.

O PL-19 Nudol (A-235) é uma arma chamada "anti-satélite de ascensão direta". As armas de ascensão direta são, sem dúvida, as menos sofisticadas armas anti-satélite. Essencialmente, apenas foguetes de peso médio, como o tipo que as agências espaciais usam para impulsionar pequenas cargas em órbita baixa da Terra, os DA-ASATs são baratos de desenvolver e fáceis de usar, mas só podem ameaçar naves espaciais de baixa altitude.


O teste de Nudol, junto com o desenvolvimento mais secreto do Burevestnik, destaca o crescente arsenal espacial da Rússia.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários