USAF abre licitação para substituir os motores do bombardeiro B-52


20 de mai. de 2020 Defense News

USAF abre licitação para substituir o motor do bombardeiro B-52

A General Electric, a Rolls-Royce e a Pratt & Whitney competirão pela chance de equipar a frota de bombardeiros B-52 da Força Aérea dos EUA com novos motores, com um contrato previsto para junho de 2021.


A Força Aérea lançou um pedido de propostas para o Programa de Substituição para Motores Comerciais B-52 para as três empresas em 19 de maio. Os fabricantes de motores já estão sob contrato para criar protótipos digitais e têm até 22 de julho para enviar propostas finais, a declarou a solicitação.


A Força Aérea opera 76 B-52, cada um equipado com oito motores TF33. O serviço planeja encomendar ao vencedor da competição 608 novos motores, mais peças de reposição e suporte.

A versão pública da RFP oculta o valor estimado do programa, que deve se estender de 2021 a 2035.


A Pratt & Whitney, que fabricou o TF33 atualmente a bordo do B-52, declarou que irá propor o PW800. "Sua confiabilidade líder do setor, infraestrutura robusta de suporte e economia significativa em eficiência de combustível melhorarão bastante o lendário bombardeiro e o manterão voando nas próximas décadas", disse Chris Johnson, diretor executivo de mobilidade e diversos programas de motores da Pratt & Whitney. "Nossa experiência exclusiva com o B-52, juntamente com nossa experiência na integração de motores comerciais em aplicações militares, fornecerá um motor de baixo risco e alto desempenho para alimentar a frota Stratofortress até 2050."



A GE Aviation apresentará os motores CF34-10 e Passport, disse o porta-voz David Wilson.

"A GE é a única empresa que esteve envolvida em reativar três aeronaves da Força Aérea dos EUA três vezes", disse ele. “Acrescente nossa profunda experiência em impulsionar seis bombardeiros estratégicos, o apoio ao combate aéreo e a reverência que temos pelo papel que desempenhamos na proteção deste país, e a GE é o parceiro certo para garantir que o B-52 esteja sempre pronto para missões críticas."

A Rolls-Royce pretende oferecer seu motor F130, confirmou a empresa.

"A Rolls-Royce está animada em seguir para a fase de proposta da campanha e pronta para demonstrar que o motor Rolls-Royce F130 é a combinação perfeita para o B-52", disse Craig McVay, vice-presidente sênior da Rolls-Royce Defense. em um comunicado. “O F130 é um motor altamente confiável e comprovado, que já está em produção comercial. Nossa equipe está focada, energizada e ansiosa para competir pelo Programa de Substituição para Motores Comerciais B-52 e fornecer a melhor solução possível para a Força Aérea dos EUA e as principais missões do sistema de armas B-52.”

Motores modernos tornariam mais fácil para as equipes diagnosticar problemas e fazer os reparos necessários
Motores modernos tornariam mais fácil para as equipes diagnosticar problemas e fazer os reparos necessários

A Força Aérea planeja operar o B-52 na década de 2050 e vê novos motores comerciais como uma maneira de reduzir a queima de combustível e o tempo necessário para manter o bombardeiro.

No ano passado, a equipe de manutenção do B-52 na Base da Força Aérea de Barksdale, Louisiana, disseram ao Defense News que os motores modernos tornariam mais fácil para as equipes diagnosticar problemas e fazer os reparos necessários.


"Gostaria de saber se preciso retirar a aeronave do cronograma e fornecer um novo motor com antecedência", disse a tenente-coronel Tiffany Arnold, comandante do 2º Esquadrão de Manutenção. “Poderíamos priorizar, entender os padrões dos motores de maneira a mantê-los melhor. E, esperançosamente, o novo motor, quem quer que o projete, terá uma confiabilidade maior, e poderemos pilotar por mais tempo.”

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários