Este bombardeiro soviético aterrorizou os EUA e iniciou uma corrida armamentista

9 de julho de 2020 The National Interest

Este bombardeiro russo aterrorizou a América e iniciou uma corrida armamentista

O bombardeiro soviético Myasishchev M-4 Molot pegou os Estados Unidos desprevenidos, fazendo com que a USAF aumentasse a produção de bombardeiros.

Após a Segunda Guerra Mundial, a União Soviética dependia de seu Tupolev Tu-4, uma cópia do bombardeiro estadunidense turboélice de longo alcance B-29 Superfortress. Enquanto o Superfortress e a cópia de engenharia reversa da URSS eram decentemente eficientes quando entraram em produção, ambos os bombardeiros tornaram-se cada vez mais vulneráveis ​a aos caças a jato muito mais rápidos e manobráveis.

Ao contrário da USAF ou da Royal Air Force, a União Soviética não tinha um bombardeiro a jato em serviço. Além disso, os aviões estadunidenses baseados na Europa poderiam atingir a URSS com muito pouco aviso, enquanto o turboélice Tu-4 não possuía o alcance necessário para atingir alvos nos Estados Unidos e retornar à União Soviética, deixando a aviação de longo alcance da União Soviética em uma desvantagem distinta. Para alcançar os Estados Unidos, a União Soviética recorreu a Divisão de Projestos Myasishchev e encarregou-os de construir um bombardeiro a jato que pudesse atingir alvos na Europa e nos Estados Unidos - o Myasishchev M-4.

No papel, o projeto da Myasishchev era impressionante.
No papel, o projeto da Myasishchev era impressionante.

Myasishchev M-4

No papel, o projeto da Myasishchev era impressionante. O bombardeiro estratégico tinha quatro motores turbojato montados lado a lado nas raízes das asas que podiam impulsionar o bombardeiro a altas velocidades subsônicas - várias centenas de quilômetros por hora mais rápido que o Tu-4 anterior. Seis canhões de 23 mm montados em torres gêmeas na cauda e na parte superior e inferior da fuselagem da aeronave forneceram proteção defensiva contra interceptadores inimigos. As melhorias posteriores no projeto focaram em aumentar seu alcance, incorporando motores com mais economia de combustível e uma sonda de reabastecimento montada no nariz.

Os Estados Unidos foram pegos de surpresa, eles não tinham conhecimento de um projeto de bombardeiro a jato soviético.
 Os Estados Unidos foram pegos de surpresa, eles não tinham conhecimento de um projeto de bombardeiro a jato soviético.

Bomber Gap

O bombardeiro a jato Myasishchev causou um grande susto na comunidade de inteligência americana. O M-4 fez a sua estreia pública durante o desfile anual do Dia da Vitória da União Soviética em maio de 1954. Os Estados Unidos foram pegos de surpresa, eles não tinham conhecimento de um projeto de bombardeiro a jato soviético, e muito menos o fato de que bombardeiros a jato soviéticos estavam agora em produção. Em uma exposição aérea no ano seguinte, foram vistos aviões M-4 adicionais, consolidando a crença de que o M-4 estava sendo produzido em massa.

Acreditando que a União Soviética estava fabricando rapidamente um bombardeiro de longo alcance veloz para atingir os Estados Unidos, a chamada teoria do "Bomber Gap" elevou os gastos com defesa estadunidenses por vários anos e resultou a uma expansão da força aérea dos EUA, particularmente em  bombardeiros estratégicos de longo alcance.

Um M-4 modificado também serviu como transporte de cargas grandes para o programa do ônibus espacial Buran.
Um M-4 modificado também serviu como transporte de cargas grandes para o programa do ônibus espacial Buran.

Conclusão

Apesar da inteligência inicial que parecia afirmar os enormes números de produção do M-4, sobrevoos subsequentes sobre a União Soviética por pilotos americanos e britânicos no final da década de 1950 revelaram que a União Soviética não havia construído a infraestrutura de produção para fabricar no país o M-4  nos números que se acreditavam inicialmente.

Apesar das melhorias na estrutura da aeronave, as capacidades do Myasishchev M-4 nunca foram aumentadas o suficiente para permitir atingir objetivos de valor estratégico nos Estados Unidos e retornar à União Soviética. A produção cessou no início dos anos 60. Embora a maioria dos M-4 tenha acabado desmantelada, vários deles serviram como aviões-tanque até meados da década de 90. Um M-4 modificado também serviu como transporte de cargas superdimensionadas para o programa do ônibus espacial Buran da União Soviética.

Traduzido por Pacto de Varsóvia.

Postar um comentário

0 Comentários